Propaganda inútil

Depois de todo esse furacão que foram as CPIs (fim do mundo – bingos -, correio, compra de votos/mensalão), restou uma conclusão: os esquemas de corrupção do governo são financiados, em grande parcela, pela verba de publicidade governamental, em todas as esferas. Pois bem, perguntamos agora: pra que propaganda governamental? Ora, para dar publicidade aos atos de governo, diriam os poderosos. Afinal, está na constituição brasileira que os atos de governo devem ser públicos e impessoais. É aí que o caldo entorna.
Quando abro uma revista de circulação nacional e vejo um anúncio do governo de Rondônia, mostrando suas construções de casas populares, as quais provavelmente nunca verei “in loco”, faço igualzinho a milhares de paulistas, fluminenses, mineiros, alagoanos,… leitores dessa mesma revista: passo batido pela página. Isso quer dizer, em legítimo publicitês, que o alcance da mídia utilizada é inadequada ao produto anunciado, e em português, que o anunciante está gastando vela com mau defunto. A quem interessa um anúncio televisivo de 30 s, nacional, no horário do Fantástico, mostrando as maravilhas do rebaixamento da calha do Tietê? Somente aos moradores da capital paulista, e, no caso, ao governador paulista que será candidato a presidência. E aí a impessoalidade dos atos governamentais já foi pro saco, mesmo que sua imagem e nome não apareçam. Estarão implícitos.
Esses casos são fictícios (ou não, faz tempo que não assisto TV), mas todos sabem que ocorrem freqüentemente. Quando vi que havia um contrato de publicidade para a Câmara dos Deputados, no valor de R$ 10 milhões, fiquei estupefato. Nunca vi sequer uma peça publicitária sobre a Câmara (se vi e não me lembro, mostra somente que era muito ruim – recall zero, como dizem os meninos da propaganda).
Este blog será uma bandeira pelo fim da publicidade governamental. Os atos de governo tornam-se públicos com o usufruto (ou insatisfação) do cidadão e a divulgação pela imprensa. Eventuais campanhas de esclarecimento deverão ser integralmente custeadas e difundidas pelos meios de comunicação, que são concessões altamente lucrativas e têm um dever social inalienável a cumprir.

About these ads

Uma resposta para Propaganda inútil

  1. [...] longínquos cinco anos, escrevi este texto. Não se trata, portanto de um posicionamento oportunista ou recente, mas ele voltou à minha [...]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 432 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: