Ser jornalista é…

Sei lá, não sou jornalista. Mas tem muito jornalista e “jornalista” que pensa saber completar a frase. E faz até post a respeito. O “jornalista”, claro, copia.

Se você passou o mouse nos links acima ou clicou, já sabe de “quens” estou falando. Se acompanha o blog e pensou “ih, lá vem essa besta falando deles, já tá virando perseguição”, pode ter certeza disso. Nada pessoal, econômico ou financeiro, mas a simbiose (comensalismo? parasitose?) entre os dois e mais um (o hospedeiro oculto), está tornando o trabalho de um jornalista com vários bons serviços prestados à profissão algo totalmente suspeito. Vou contar uma história:

Era uma vez um rapaz que trabalhava como motoboy, mas sonhava um dia poder abandonar aquela penosa função e tornar-se um jornalista, como aqueles que admirava na TV e no rádio. Na internet, começou editando um modesto blog gratuito (como este aqui, por exemplo), nos intervalos entre um “corre” e outro com sua moto. Ato louvável e elogiável.

Vida dura, e a oportunidade apareceu: não se sabe como, o pobre rapaz conseguiu um “furo” de reportagem, que envolvia um site acusado de produzir matérias sob encomenda. Alguns dos acusados eram desafetos de outro jornalista, muito famoso e respeitado. Também não se sabe como, mas o “furo” caiu nas mãos exatamente deste célebre homem de imprensa, que o divulgou com pompa e circunstância.

Este fato alçou o futuro ex-motoboy à condição de celebridade na internet. O outrora obscuro blog, eivado de erros gramaticais e ortográficos, alcançou popularidade recorde, turbinada pela indicação do impoluto jornalista e outros blogueiros consagrados e respeitáveis. Como num efeito-manada, até blogueiros nem um pouco consagrados e respeitáveis indicavam o cara. A partir daí, as coisas começaram a ficar muito esquisitas.

O ex-motoboy virou hit na internet e se empolgou. Começou a disparar denúncias e acusações contra quase tudo e quase todos, ensandecido pela popularidade repentina. Falava sobre o que entendia e o que não entendia. Sua audiência começou a tratá-lo como herói, um jovem jornalista corajoso e combativo. Ele gostou e assumiu o papel. O mundo dos idiotas sempre precisa de heróis.

Veio a primeira reclamação, e com ela a expulsão do antigo provedor, seguida de uma reprimenda (do mesmo provedor) ao jornalista famoso. O célebre homem de imprensa foi obrigado a tirar o link para o blog do motoboy. Nunca mais reproduziu uma linha do que o rapaz escrevia. O novo monstro da imprensa, entretanto, já estava bem crescidinho, e como na história do Frankenstein, tinha vontade própria e saiu do controle do cientista.

Outros jornalistas também o alimentaram. Deram até coluna de Fórmula 1 (retirada na calada da noite) para ele escrever, assunto no qual o rapaz teve um momento anta antológico, bradando contra a  ” irresponsabilidade da FIA por não permitir a instalação de FARÓIS nos carros de F-1, no GP da Malásia”.

Ele não se fazia de rogado. Circulava por qualquer editoria: política (não foi só a FSP que publicou), economia, cidades, esportes. Era uma besteira atrás da outra. Enquanto crescia, os antigos apoiadores iam saindo de fininho (ele constava nessa lista aí, tinha até caricatura!), fingindo que não o conheciam. Só se esqueceram de avisar os acusados pelo rapaz, que ingressaram na justiça com bateladas de processos cíveis de indenização por danos morais, e criminais por injúria, calúnia e difamação. Contra o rapaz e contra quem lhe dava corda. Arrumou uma banca de advocacia digna do Daniel Dantas, mas a remunera não se sabe como. Dizem que é o “terror dos oficiais de justiça”, pois escapa deles como ninguém.

O blogueiro, no entanto, julgava ser isso um “atestado de idoneidade”, ombreando-se com o velho jornalista e com outro boquirroto relegado ao ostracismo, que acumulam queixas aos borbotões. Não discuto o mérito de nenhuma delas.

Como quem faz muito barulho sempre incomoda, começaram a investigar o blogueiro. Tal a “Moça do Wando“, o rapaz tinha um passado forte: com nome sujo na praça, deu uma de esperto e burlou a Receita Federal, conseguindo a emissão de novo CPF com número diferente. Não adiantou muito, pois “sujou” os dois. A lista de pendências do rapaz apareceu, os processos cíveis e criminais “pré-notoriedade” eram muitos. Algo estranho para um neo-paladino da moralidade, que se achava suficientemente honesto para acusar um diretor do SCCP de ser “bicheiro”, enquanto ELE estava sendo processado pela mesma contravenção penal. Foi absolvido, talvez por ser somente o motoboy da banca de corretagem zoológica. Todo bicheiro precisa do trabalho dos valorosos motoboys.

Com as “capivaras” aparecendo, logo os leitores correram a questioná-lo. “Intriga da oposição”, “mentiras” e “sou vítima de interesses inconfessáveis” (parafraseando Collor) eram as poucas respostas dadas, mesmo com provas documentais de seus problemas com a justiça sendo esfregadas em seu rosto. A megalomania estava definitivamente instalada no blogueiro, que usa a palavra “verdade” em 99,9% dos seus posts. Também adora o “locupletar”, verbete que parece ter conhecido recentemente. Todos os seus desafetos são “mentirosos e se locupletam”. Coincidentemente, são os mesmos desafetos do velho jornalista e do “hospedeiro oculto”. Para manter a aura de santidade, o blogueiro simplesmente deleta qualquer comentário que exponha seu vasto telhado de vidro.

Esta conversa vai MUITO LONGE, os links são fartos e levam a vários outros lugares. Paro por aqui, sem antes deixar uma resposta a uma pergunta que fatalmente surgirá: se o cara é tão escroto assim, por que perder tempo com ele? A resposta: não é “com ele” que estou preocupado. É com o velho jornalista, e, principalmente, com O JORNALISMO. Por que preocupado? No próximo post eu conto.

———————————————

BÔNUS TRACK:

Registro do “Mídia Sem Média” com endereço do “Hospedeiro Oculto;

O blogueiro representa no MP contra diversos desafetos, apoiado no velho jornalista, e acaba enrolando os dois.

Extrato de uma ação movida por pessoa qualificada pelo blogueiro como “bicheiro e contraventor”, com sentença desfavorável ao acusador, por não apresentar elementos de prova que a sustentem.

Mais mandados dos oficiais de justiça contra o blogueiro, frustrados.

Cortesia: Blog do Silvinho, alcunhado pelo rapaz de “limpador de piscinas” do PSJ. Ele é diretor do clube.

———————————————————————-

About these ads

15 respostas para Ser jornalista é…

  1. Talvez eu seja mesmo um alienado, mas QUEM É O TAL PAULINHO, MEU DEUS? Nunca ouvi falar. Juro, não é gozação, nunca mesmo ouvi falar.

    É só o maior blog brasileiro no wordpress em número de acessos. Outro dia apareceu no top 10 do wordpress no mundo. Tem uns 6 milhões de visitas. Em coisa de 2 anos.

  2. Thiago Ferreira disse:

    Porra. top 10 do wordpress no mundo? Como Corinthiano conheci esse blog a muito tempo, porem nao deu pra aguentar tanta besteira. O cara eh muito ruim, faz uma mistureba, e como voce disse, cola tudo de tudo quanto eh lugar.
    Voce me fez voltar la hoje pra conferir….e cara..continua a mesma merda.E os leitores…(afff)se aquilo eh amostragem dos 6 milhoes, barbaridade.
    E nao eh que eh verdade? Deu um control C, e um control V no blog do Kfouri, nesse post ridiculo sobre ser jornalista. Isso que eh criatividade.
    Tambem pudera, o “Frankstein saiu do controle do cientista”. (essa foi demais!!!)
    E voce como sempre foi genial. A gente fica sem saber, se o post foi escrito para exaltar o velho jornalista, ou uma forçada de barra do criador em favor de sua criatura.
    Essa sacada de que os desafetos de um sao os mesmos de outro, foi magistralmente definida por voce, como
    estranha simbiose.
    Ate hoje nao entendi o real objetivo dessa uniao surreal.
    Putz, tive que dar um page view hoje para essas coisas.
    Prometo, a mim mesmo, que foi so hoje.
    Jornalista quando começa a desejar, sempre ser maior do que a noticia, eh um pe no saco.
    Ah! se serve de consolo, numero de visitas nunca foi sinal de qualidade.
    Esse video, foi acessado mais de 8,5 milhoes de vezes

    E aquele do “v…t…no c.” entao? mais de 15 milhoes.
    Mas esse vale a pena sempre rever. A gente retoma as redeas da nossa vida. ehehehehehe

    Ele ter esse porrilhão de pageviews é um péssimo sintoma, Thiago: indica que as pessoas não aproveitam a internet como fonte de informação confiável. Elas se escoram em qualquer coisa. Um fulano como esse é um verdadeiro “assassino de reputações” e deve ser combatido, sob pena de desmoralização da internet. Eu tento fazer a minha pequena parte, mas o “cientista” soltou a fera na rua e finge que não é com ele. Abordaremos a questão no próximo post.

  3. Thiago Ferreira disse:

    Vou esperar o proximo post. Porem, parabens ja, por essa primeira abordagem do fato.
    Voce me lembrou Eliot Ness, e seus amigos, no filme os Intocaveis.

    Tá de zoeira?

  4. Sou corinthiano, não sei quem é o Paulinho.
    Ah! Lembrei, não seria aquele onde as crianças deveriam ir fazer cocô (vai com acento por antiguidade)?
    O JK e KJ não leio nem amarrado com arame farpado. Agora o Ferrez leio vez em quando. Assino Caros Amigos.

    O que o Ferréz tem a ver com isso?

  5. Um dos links direciona para:

    Uma conversa com o escritor Ferréz

    Semana passada foi ao ar, na Rede Cultura de Televisão, uma entrevista que dei ao escritor Ferréz, em Capão Redondo, cujo endereço aqui está.

    http://interferencia.art.br/

    Ah, tá. Mas ele não tem nada a ver com isso. O JK foi entrevistado por ele e postou no blog.

  6. Sim, não disse que ele tem algo com isso. Só disse que não leio jk mas leio o Ferrez.

  7. Thiago Ferreira disse:

    Nao to de zoeira Vinicius. O Ness era o mocinho nao viu?
    eheheheheh
    JK pra mim, eh um dos mais chatos e soberbos da midia esportiva. Se acha o cara, e debocha da inteligencia de seus leitores. Eu abandonei faz tempo, e so acesso quando alguem lembra, como aqui por exemplo.
    O que estranho eh essa uniao simbiotica, como vc. disse, que evidentemente tem algum proposito, que nao consigo entender porque. Politico, financeiro, sei la.

    Nem eu sei. Mas tô a fim de descobrir.

  8. Ricardo disse:

    Ótimo post. Eu confesso que acesso o blog do motoca com frequencia, e o considero um dos melhores blogs de comédia em língua portuguesa. A comédia já começa no slogan adotado desde o início. Acho que credibilidade tem que ser reconhecida pelos leitores, não auto-proclamada. Ainda mais por um blogueiro que se iniciava no “ramo”, e sem formação. Também adoro colocar comentários que em sua grande maioria são sumariamente limados (eu vou mudando o nome, e as vezes a tática funciona e são publicados), mas pelo menos eu me divirto, e ele tem que ler umas verdades.

    Só acrescentando um pouquinho ao seu relato, vale lembrar que antes de falar de Fórmula 1 no Blog do Birner, ele fazia também “reportagens investigativas”, ou seja, atirava pra todos os lados. E o Birner certamente ao ver o modus operandi, colocou ele de lado, dando a tal coluna de Formula 1, só para se livrar aos poucos do problema.
    Também vale lembrar que ele foi “funcionário” da TVKajuru, mas pouco tempo depois foi posto de lado, sem mais nem menos. Curiosamente, agora é muito raro aparecer algo sobre o Kajuru no blog.

    Além de tudo, o idiota confessou ter a sua faculdade patrocinada, e diz que ganha dinheiro como jornalista (como? antes era o blog, agora é o blog e o MSM, um site com equipe, carro e computadores, mas sem publicidade) e com trabalhos informaticos (!!!!!!!!)

    http://blogdopaulinho.wordpress.com/2009/06/15/assessor-de-imprensa-informal/#comment-106921

    Enfim, é uma comédia. Triste é saber que, como vc mesmo disse, o problema é o caminho que toma o jornalismo. Há pessoas que não são muito bem informadas e acreditam em tudo que sai na net, e acabam lendo aquilo como se fosse “jornalismo com credibilidade”.

    Abraço,

    Ricardo

    É, Ricardo, resumiu bem. O preocupante nessa história (e por isso eu insisto nela) é que “o criador” finge não saber da existência da “criatura”, e o cara fica por aí difamando pessoas com o respaldo da audiência conseguida graças a ele. Nem um conselhinho o cara dá. Aliás o JK, na sua coluna da folha de domingo, disse sobre a profissão de jornalista: “o pior é quem escreve de graça, mas não revela o patrocinador – e faz sob encomenda deste.” Não foi para o rapaz, claro. Sobre ele não há um pio.

  9. ademir disse:

    Eu desconfio(e muito) de pessoas que se consideram portadoras da trindade “verdade, ética, crediblidade”.
    Já falei isso aqui antes,mas não custa repetir, quem possui tais qualidades não fica falando.

    Além de tudo esse paulinho é canastrão pra caraleo!

    Pior do que canastrão. É mau-caráter. E credibilidade, também já disse, não é coisa de comprar na feira.

  10. Max disse:

    Falou tudo.
    O Cidadão que é bancado pelo C…..ni…. faz qualquer acusação em troca de migalhas e um pouco de notoridade….
    Pior são aqueles que consideram o dito cujo em Heroi da verdade e credibilidade…quanta ingenuidade….

    Agora essa de 6 milhões de page views no motoblog é novidade para mim. O Abestado tá conseguingo o que quer…por enquanto…

    Se ele não tivesse essa visibilidade toda, nem gastaria vela com mau defunto, Henrique. São quase 6 mi de pageviews em menos de 2 anos, conseguidas com o aval de Juca Kfouri, Kajuru (parece que pulou fora), Vitor Birner e outros. O blog dele no WordPress é top5 brasil e já foi top10 mundial, maior do que o do Marcello Lima (JP) e muitos outros.
    E agora, ele largou a moto, montou num “carro de reportagem” adesivado, ganhou carteirinha da ACEESP, participa de entrevistas e come bolachinha em sala de imprensa. Tem muito idiota aí sendo pautado pelos devaneios dele, e trabalhando em grandes empresas jornalísticas.

  11. [...] Ser Jornalista é… (parte 2) Pois é, continuo sem saber. Mas sei para que serve um jornalista: para informar fatos ocorridos na sociedade e/ou opinar sobre eles. Às vezes, as duas funções vêm misturadas no texto, e cabe ao leitor saber distingui-las. Não é fácil fazer esta distinção, pois o jornalista constrói a narrativa de maneira a confundir e escamotear a sua opinião, própria ou alugada. E o “mercado de opinião” por aqui é bastante ativo. Mas voltemos ao assunto do post anterior. [...]

  12. Alice disse:

    Juca Kfouri já foi processado na justiça mais de uma vez pela CBF, sendo que o valor de uma das causas é bastante alto. Isso dói no bolso, por mais que se ganhe dinheiro com o jornalismo que se pratica. Talvez o Paulinho fugitivo da lei seja o “caminho das pedras” para seus “admiradores”, pois a hipótese mais provável é a de que o cara apenas sirva como uma espécie de “boi de piranha” para publicar o que eles desejam que seja postado sem maiores riscos. Eu era apenas uma menina, mas depois reclamam que a ditadura torturava uns e outros. Pode até ser, mas com certos “jornalistas” que falam o que quer e se escondem depois, só na base da porrada mesmo.

    Alice, eu demorei para encampar a tese do “boi de piranha”, achava que era só doença mental do tal Paulinho. Mas eu já tô abraçando. Juca Kfouri limou vários comentários meus a respeito do Paulinho no blog.

  13. Luiz disse:

    Não acho grande coisa 6 milhões de acessos em 2 anos, ou seja 250 mil acessos mês, ou cerca de 8 mil acessos
    dia de média, vamos imaginar que cada um acesse 3 vezes por dia, teremos uns 3mil seguidores, o que não é nada de excepcional.

    Você veio via link que eu deixei no blog do Marcello Lima, né? Então, o tal Paulinho tem mais pageviews (e unique visitors) que ele, que trabalha na Jovem Pan e tem trocentos anos de jornalismo. Pare pra pensar: pra um zé-mané sem nenhuma visibilidade fora da internet, é acesso pra cacete. Abs.

  14. Lucius disse:

    Tava lendo outro post seu (de hoje, 15.02.2010) e acabei vindo para esse mais antigo (quando ainda não andava por esses lados), em face do link na relação dos comentários mais recentes (não que isso seja relevante).
    Quanto à postagem, como dizem por aí: sinistro! JK gosta de falar quando os processos na justiça são arquivados. Mas ano passado li uma decisão do STJ contrária ao jornalista (não lembro em que mês) e fui ver no blog dele se haveria alguma notícia: nada. Continuei olhando nos dias seguintes e nenhuma linha.
    Há algum tempo eu já lia ou escutava os comentários do jornalista com grande desconfiança. Acho a participação dele no Linha de Passe muito ruim.
    E quando da premiação dos melhores atletas olímpicos do Brasil no ano de 2009, acho que fez um péssimo jornalismo pela maneira como criticou a escolha da melhor atleta, jogando no meio da cruzada que faz contra o COI a atleta judoca e a nadadora de mar aberto.
    Depois de tudo que você escreveu no post, fica difícil voltar a ler o blog do JK.

    Juca já deu sua contribuição ao jornalismo. Pra mim, tá fazendo hora extra. E várias cagadas.

  15. Vinícius disse:

    amigo, acho que esse imbecil começou com o caso Nilmar. Que com certeza foi passado pelo Citadini.

    O pontapé inicial da carreira desse rapaz foi o caso “Futebol Interior”, quando Juca Kfouri o transformou em “estrela”. O caso Nilmar foi depois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 432 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: