Só agora Ronaldo é farsa????????

O desmonte do outrora galático Real Madrid vem aguçando a sanha dos urubus de plantão da imprensa brasileira, e tenho ouvido comentários (muitos) sobre o Ronaldo. Comentários do tipo “ele não joga nada desde 2000”, “é baladeiro”, e, ao ser sondado para jogar em time árabe, nos EUA ou no Flamengo, os mesmos urubus, que enchiam a boca para chamá-lo de “fenômeno”, agora sentam a botina no centroavante gente-boa, com interesses suspeitos.
Existiu, em priscas eras da internet, um site chamado FUTIBA.COM. Muito bom site de futebol, não sei porque acabou. Lá existia uma seção, chamada “Alambrado”, onde o administrador da página abria espaço para a opinião dos leitores. O texto abaixo, milagrosamente recuperado, é de minha autoria, e foi escrito em abr/2002. Relendo-o, talvez o escreveria de outra forma, reconheço, mas isto não invalida a idéia central: Ronaldo foi meticulosamente construído pelos gestores de sua carreira.
Sei que o Valmir é adepto da “seita anti-RRRRRRRRRonaldinhooooo”, quase apanhamos na festa de aniversário do filho dele quando começamos a “pregar” nossa crença, mas para mim o que importa mesmo é tentar mostrar aos amantes do futebol o quanto de manipulação a imprensa e o stablishment impõem sobre suas cabeças. Ronaldo tem 30 anos e já é quase um ex-jogador.
Sobre fenômenos, por favor, não agridam minhas combalidas retinas: vi Maradona, Zico, Zidane, Romário, Ademir da Guia, Dario Pereyra.
Sobre Ronaldo, estas mesmas retinas enviam a mensagem de já ter visto isso muitas vezes antes.

Segue abaixo o texto, na íntegra:

Agora o bicho vai pegar…

Como demonstrar que o maior ídolo(?) do futebol brasileiro, eleito o melhor jogador do mundo, cantado em verso e prosa como gênio, não passa de um bom centroavante, como dezenas (ou centenas) espalhados pelos campos do Brasil, sem receber uma saraivada de críticas, xingamentos e ameaças de morte? Vou tentar, pois acho que a causa é nobre.

Ronaldo, menino humilde do subúrbio do RJ, foi preparado por espertos empresários do futebol para ser o que é. Solícito e politicamente correto, angariou a simpatia do quarto poder (imprensa), que lhe garantiu a visibilidade necessária. Defendeu as cores do glorioso Cruzeiro E.C.- time de expressão nacional, mas que recebe uma carga de pressão muito inferior aos do eixo RJ-SP-. Natural seria que Ronaldo saísse do São Cristóvão para Flamengo, Vasco ou “co-irmãos” (seus empresários conseguiriam com facilidade), mas foi para Minas. Tudo muito bem planejado.

Após um bom campeonato brasileiro, alcança a artilharia (antes que achem isso uma façanha, lembrem-se que Guga, Paulinho McLaren, Túlio, entre outros, também foram artilheiros do brasileiro). Convocado para a seleção (Zé do Carmo e Vivinho também foram). “Disputa” a copa de 1994 (Paulo Sérgio, Dario, Zé Carlos “Galo” e Elzo também disputaram copa do mundo).

Para ganhar status de jogador internacional, seus empresários o mandaram para a Holanda. Artilheiro e campeão em um país de grande futebol, mas de clubes pequenos e inexpressivos. Abre-se o mercado espanhol e Ronaldo vai para o Barcelona. Após um trabalho físico de resultados questionáveis no PSV, transforma-se em um jogador forte fisicamente, com arranque impressionante, e faz sucesso num futebol onde não “se chega junto”. A FIFA o aclama como melhor do mundo (Weah também foi), e aí começa a transformação. Contratado pela Nike, empresa de artigos esportivos norte-americana, ávida por novos mercados, recebe investimentos de grande soma. Sua imagem de bom-moço, o sorriso infantil e o ar de ingenuidade são requisitos indispensáveis para uma empresa acusada há anos de explorar mão de obra infantil e semi-escrava nos países subdesenvolvidos. O “melhor jogador do mundo” usar produtos Nike era tudo que a empresa precisava para mostrar que entendia do assunto, mesmo que ainda chamasse futebol de “soccer”.

Golpe de misericórdia: Ronaldo é “eleito” embaixador da UNICEF. Quem poderá ir contra o homem? Bonzinho com jornalistas, xodó da FIFA, “amigo” das crianças e com sponsor americano.

Coberto de láureas sem nunca ter ganho nada importante em campo, Ronaldo disputa a copa de 98 como grande estrela. Machucado, dizem. Toma infiltrações para jogar, dizem. Faz apenas uma partida brilhante: contra a Holanda. O desfecho todos já conhecem.

Contratado por uma fortuna pela Inter de Milão, passa mais tempo no hospital que em campo. Joelho estourado, especialistas dizem que a lesão fora provocada pelo aumento excessivo de massa muscular, que desequilibrou sua compleição física e sobrecarregou as articulações, que não estavam dimensionadas para carregar tanto peso e suportar tanta explosão. Assim como um Chevette com motor de Fórmula 1. Fim de carreira? Não, nunca, afinal o contrato com a Nike é vitalício, e a empresa precisa dele por mais tempo. Tem copa no Japão e na Coréia, mercados importantes, e a presença de Ronaldo é fundamental para os interesses da marca.

Scolari, técnico conhecido nacionalmente, sucumbiria à pressão do patrocinador da seleção? Nunca, é um homem íntegro. Convocou Ronaldo machucado para um jogo das eliminatórias, fazendo-o voar de Milão ao Brasil apenas para dar uma coletiva ao seu lado. Convoca agora, para a copa, um jogador que não atua regularmente desde 1998, sendo que nem o clube que lhe paga milhões (e gastou milhões para trazê-lo) tem coragem de escalá-lo, por medo de ver seu investimento mais uma vez na sala de cirurgia.

Tentei ficar o texto todo sem digitar esta palavra, mas é inevitável: quando se fala em Ronaldo, lembra-se imediatamente de um fenômeno: o eclipse. Todo mundo anuncia, cria-se a expectativa, todos querem ver, mas, depois que passa, acabou. O fenômeno acabou.”

Vinicius Duarte
São Paulo – SP“

Anúncios

8 Responses to Só agora Ronaldo é farsa????????

  1. Carlão disse:

    Concordo, em partes. Sei que o texto foi escrito antes da Copa de 2002, mas, há de se ponderar alguns pontos. Claro que os bastidores do futebol (e não só do futebol) não são tão claros. Evidente que acontece muita porcaria por de trás das cortinas. A questão da Nike nem precisa ser comentada. Agora, dizer que ele é apenas um bom centro-avante é foda! Ronaldão joga/jogou muita bola! Sei que a principal característica dele é/era seu arranque. Recebia a bola em velocidade e não havia/há zagueiro no mundo que o alcançasse. Mas não é só isso. Ele só não é bom de cabeça (no campo). Lembremos que a função de um centro-avante é marcar gols. E isso ele faz. De direita, de esquerda, de longe, de perto, de dentro da área. Repito: sei que fora das quatro linhas empresários, multinacionais, etc., deitam e rolam, mas, niguém faz um jogador ser o que Ronaldão é/foi se o próprio não ajudar dentro de campo. Ronaldo está no Brasil de todos os tempos? Óbvio que não! Pra mim, analisando somente o jogo (esquecendo tudo que você disse que acontece fora dos gramados), Ronaldão é/foi craque!

  2. Vinicius Duarte disse:

    Pelo que entendo de seus comentários e do seu blog, você é estudante de jornalismo, e adora o PVC. Beleza, cara. Como consumidor de jornalismo esportivo, digo-te que este mundo precisa mais de Jucas Kfouris, que metem a mão na lama do esporte, até para que ele seja melhor dentro de campo, e o PVC se sinta mais confortável para fazer suas análises táticas e técnicas das equipes.
    Quando fui publicar este texto, coloquei-o para o Juca analisar, e ele me respondeu: “admiro sua coragem, manda ver!”, e entendi a mensagem como um misto de “tu é louco” com “faz sentido”.
    Quanto ao conceito “craque”, digamos que ele é bastante maleável. Serginho Chulapa é/era craque? Roberto Dinamite é/era craque?
    Neste mundo de excesso de informação, o esporte sofre com os “analistas de highlights”, aqueles caras que dizem assistir 400 jogos por dia, mas só viram os “melhores momentos”. A globalização transformou os diretores de TV em técnicos de futebol.

    Abraço

  3. Vinicius Duarte disse:

    Pelo que entendo de seus comentários e do seu blog, você é estudante de jornalismo, e adora o PVC. Beleza, cara. Como consumidor de jornalismo esportivo, digo-te que este mundo precisa mais de Jucas Kfouris, que metem a mão na lama do esporte, até para que ele seja melhor dentro de campo, e o PVC se sinta mais confortável para fazer suas análises táticas e técnicas das equipes.
    Quando fui publicar este texto, coloquei-o para o Juca analisar, e ele me respondeu: “admiro sua coragem, manda ver!”, e entendi a mensagem como um misto de “tu é louco” com “faz sentido”.
    Quanto ao conceito “craque”, digamos que ele é bastante maleável. Serginho Chulapa é/era craque? Roberto Dinamite é/era craque?
    Neste mundo de excesso de informação, o esporte sofre com os “analistas de highlights”, aqueles caras que dizem assistir 400 jogos por dia, mas só viram os “melhores momentos”. A globalização transformou os diretores de TV em técnicos de futebol.

    Abraço

  4. Carlão disse:

    Na verdade, sou estudante de Publicidade. Pretendo me mudar para São Paulo, depois que me formar, para trabalhar com jornalismo esportivo (ESPN Brasil). Sei que não sou nenhum moleque (21), mas ainda dá tempo de eu mudar de “carreira”.
    Curto o PVC sim. O Juca também. São belezas diferentes. E sei que um dos diferenciais do Juca é esta característica de “descer o pau”. O PVC não fala das podreras dos bastidores. Mas não acho que ele seja um “analista de highlights”.
    Talvez, um dos motivos de eu adorar, como você disse, o PVC, é que eu adoro história. E o cara tem manha de contar várias, que ele leu, e não viu, evidente. Mas, como disse, Juca e PVC são belezas diferentes. De idades diferentes também. Quem sabe o Paulo Vinicius mude. Não sei…

  5. Carlão disse:

    Ah, como descobriu que curto o PVC? Por causa da postagem “Parabéns P/ VC”?

  6. Vinicius Duarte disse:

    É isso aí, Carlão. Vi seu post e a zoeira dos caras nos comentários. O PVC não é “comentarista de highlights”, até acho que ele é determinado o suficiente para assistir, na íntegra, 400 jogos por mês. Não acho saudável, mas isso é outra história. Quanto ao JK, a sua linha de jornalismo esportivo não é de “descer o pau”, no sentido mais simplista da expressão, mas sim de ter maturidade suficiente para perceber o quanto a podreira dos bastidores influi negativamente no espetáculo. E luta, incansavelmente, para melhorar os bastidores para que o esporte melhore dentro do campo de jogo.

  7. joao disse:

    Caro Vinicius, seu texto só tem sentindo pra quem é da imprensa sensacionalista – essa mesmo que hoje diz que Ronaldo é uma farsa ou que é um ex-jogador em atividade. Esse provavelmente será seu futuro.
    É muito fácil escrever que Ronaldo não passa de um bom centroavante com esses argumentos frágeis usados por você. Ronaldo não foi simplesmente mandado para Europa por empresários depois de ter sido artilheiro pelo Cruzeiro, ele foi e lá correspondeu a expectativa criada em cima dele.
    Foi artilheiro de TODOS os países por onde ele jogou. Diferentemente de um simples “bom centroavante” como Fred, Nilmar, Adriano e qualquer outro jogador que hoje possa ser considerado o titular da nossa seleção, Ronaldo foi – até ter problemas com a 1ª lesão no Joelho – um Deus nos times em que ele passou.
    Artilheiro no Cruzeiro, PSV, e Barcelona, no campeonato espanhol que é um campeonato – segundo você – onde a defesa não chega junto, porém é la também que foram jogar grandes atacantes, recebendo salários entre os maiores do mundo, que não chegaram nem perto do desempenho dele. Mas não foi só isso Ronaldo também foi artilheiro na Itália campeonato que tem as melhores defesas e o jogo mais trancado e mesmo assim ele ganhou os títulos pessoais de Melhor Jogador do Campeonato e de Melhor Artilheiro.
    Você pode não considerar o Ronaldo o melhor jogador do mundo, mas daí pra dizer que ele não passa de um simples centro-avante como centenas que aparecem aqui no Brasil é sensacionalismo. Basta analisar o desempenho dele por onde ele passou, a quantidade de gols que ele fez na carreira e os seus títulos pessoais pra ver que não é tão simples assim.
    Claro que ele teve ótimos empresários isso é inegável, mas quem entrava em campo e destruía era ele.

  8. joao disse:

    È fruto da imprensa sensacionalista brasileira achar que Ronaldo é um ex-jogador em atividade.
    É só analisar o desempenho dele na Liga espanhola nas últimas temporadas e ver se faz sentido chamá-lo assim.

    2002/2003 Real Madrid : Liga – 31 Partidas 23 gols. Competições Européias : 11 Partidas 6 gols.
    2003/2004 Real Madrid : Liga – 32 Partidas 24 gols. Competições Européias : 9 Partidas 4 Gols.
    2004/2005 Real Madrid : Liga – 34 Partidas 21 gols. Competições Européias : 10 Partidas 3 Gols.
    2005/2006 Real Madrid : Liga – 23 Partidas 14 gols. Competições Européias : 2 Partidas 0 Gols.
    2006/2007 Real Madrid : Liga – 6 Partidas 1 gol. Competições Européias : 4 Partidas 2 Gols.
    Janeiro 2007 Milan : 2 Partídas 2 gols.

    Serie um fracasso a passagem de Ronaldo no Real Madrid? 98 Gols em em 4,5 anos? Média de 21,7 gols por ano?
    Ultima temporada 2005/2006 mesmo com o Real Madrid em crise Ronaldo fez 14 gols na temporada, seria esse um desempenho de um ex-jogador em atividade? ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: