Kafka explica…*

Tema: uma pessoa tentando comprar um serviço

Personagens:

cliente
Atendente 1
Atendente 2

Cliente (após digitar trocentos números do menu e ouvir a mensagem dizendo que a ligação estará sendo gravada), finalmente acessa a Atendente 1:

Atendente 1: “Telefônica, atendente 1, boa tarde, em que posso AJUDÁ-LO?”
Cliente: “Eu gostaria de adquirir uma linha telefônica.”
A1: “Pois não, senhor. Com quem eu falo?
C: “Vinicius”.
A1: “Pois não, senhor, eu poderia chamá-lo de “você”?”
C: “Sem problemas…”
A1: “Temos a ´linha Controle`. Com ela o senhor tem direito a 400 min. de ligações locais, blá, blá, blá… Tudo isso por apenas 54 reais, mais a habilitação de 111 reais, parcelada em 10 vezes sem juros…”
C: “Veja bem, A1, eu só estou interessado na linha porque eu quero instalar o serviço de banda larga de vocês. Não tem uma outra opção mais barata?
A1: “Senhor, temos a linha ‘Clássica’, que custa 45 reais, com direitoa a 200 min., mais 111 reais de habilitação, À VISTA, com instalação sujeita ao envio de DIVERSOS DOCUMENTOS e aprovação de crédito.”
C: Mas eu tenho outras 2 linhas telefônicas em meu nome, que mais documentos vocês querem? Aliás, na ‘linha Controle’, vocês parcelam a habilitação e não exigem nada, mas para a ‘linha Clássica’, o pagamento é à vista e depende de aprovação de crédito? Não estou entendendo…
A1: São normas da empresa, senhor…
C (um pouco irritado): “Tá, mas junto com a linha, eu queria assinar o Speedy (banda larga).”
A1: Senhor, para contratar o ‘Speedy’ o senhor deve ligar para 0800xyz;”
C: (mais irritado): Mas não posso falar com você? É a mesma empresa!

O Cliente, resignado, liga para 0800xyz, para obter informações sobre o serviço de banda larga:

Atendente 2: “Telefônica, atendente 2, boa tarde, em que posso AJUDÁ-LO?”
Cliente: “Eu gostaria de adquirir o serviço Speedy.”
A2: “Pois não, senhor. Com quem eu falo?
C: “Vinicius”.
A2: “Pois não, senhor, eu poderia chamá-lo de “você”?” (isto não é informalidade, é dica de advogado)
C: “Sem problemas…”
A2: “Pois não, poderia informar o número de sua linha?”
C: “Veja bem, A2, eu não possuo linha telefônica no endereço onde quero instalar. Até estou disposto a comprar, pois sei que não se oferece banda larga sem uma linha, mas a moça que vende a linha não sabia informar sobre o Speedy.”
A2: “Senhor, sem saber o número da linha, não posso informá-lo se é possível a instalação do Speedy.”
C: “A2, moro num lugar central, com infra-estrutura de sobra…”
A2:”Entendo, mas são normas da empresa, senhor…”
C (um pouco irritado): “Tá, mas como vou comprar uma linha, de que não preciso, sem saber se ela serve para instalar o Speedy (que eu preciso)? Caso a linha não sirva, o que farei com ela???? Não, não responda, por favor!

A2: Senhor, o procedimento é este: adquira sua linha telefônica, e, após a instalação, entre em contato com a central Speedy para verificarmos a viabilidade da instalação. A Telefônica agradece e boa tarde!

Quando eu falo que o mundo está acabando, ficam me chamando de louco!

* o título é do Humberto Capellari, “o Terrível”.

Anúncios

One Response to Kafka explica…*

  1. leo.sccp disse:

    Experimente ligar para a mesma central de atendimento diversas vezes(De qualquer empresa) com uma dúvida. Se vc tentar 04 vezes, provavelmente terá, NO MÍNIMO, três respostas diferentes. Fiz questão de dar ênfase no “no mínimo” pq é capaz que vc obtenha 04 respostas diferentes…

    Abraços, Léo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: