EDUCAÇÃO "EXEMPLAR".

Vinicius cometeu o erro de me convidar para participar desse blog.

Aceitei, com satisfação. Agora já era.

Deu até umas dicas pro primeiro post, mas não falarei do meu amado Corinthians.

Inspirado pelo post anterior, escrevo pela primeira vez nesse nobre espaço.

O assunto? Educação. Não a formal, mas a de casa.

Existem mais pais despreparados para educar seus filhos ou professores despreparados para a profissão?

Não existem professores-pais e pais-professores?

Se os pais agem de maneira incoerente ou incorreta diante dos filhos, não existe ordem ou regra imposta que obrigue os “anjinhos” a fazerem o que dizem, não o que fazem.

Ilustrarei isso com algo que aconteceu comigo recentemente.

Um funileiro mostrava o serviço feito em meu carro sobre a calçada, distante uns 80 cm da rua. Coisa de 1 minuto.

Do nada uma senhora com seu carro subiu na calçada e arrancou meu retrovisor. O motivo da ação era não ter espaço na sua faixa para seguir em frente e pegar o farol aberto.

Fingiu que não viu.

Só não contava que uma Variante II estaria na sua frente impedindo a fuga antes do semáforo ficar vermelho.

Calmamente andei até o carro da Sra. (esse farol demora uma barbaridade), bati no vidro e ela, vendo minha cara de bom moço (rsrs), o abriu.

Olhei para o banco de trás e vi uma criança, seu filho.

Perguntei à elegante senhora:

_ A senhora acabou de quebrar meu retrovisor e estava fugindo?

Ela respondeu assustada:

_Desculpe, estou atrasada e tenho que levar meu filho para a escola. Me dê seu telefone que eu pago seu prejuízo.

Respondi:

_ A Senhora está preocupada em levar seu filho para a escola (EDUCAÇÃO FORMAL), mas no meio do caminho ensinou (EDUCAÇÃO DE CASA/FAMILIAR) a ele que se um dia bater no carro de alguém (DANIFICAR PATRIMÔNIO DE TERCEIROS) é só fingir que nada aconteceu e fugir.

O sinal ficou verde. O desabafo já cobriu meu prejuízo. Liberei a madame.

Poderia, caso fosse meu “modelo” de conduta, “naturalmente” chutar a porta ou socar o retrovisor do carro. Nesse caso o filho da moça aprenderia que se danificar o patrimônio de um terceiro, esse terceiro pode ser um troglodita e quebrá-lo na porrada.

Quando dois mal educados se confrontam é o que resta: PORRADA.

Assim como é anormal um idiota chutar a porta do carro do outro como revide, é bizarro colar professores ruins na cadeira.

Nesse caso da cola na cadeira os alunos podem até não terem medido a conseqüência da “brincadeira”.

Aí faltou a lição sobre ação e conseqüência, aula dada em casa. A mesma aula que 9 entre 10 pessoas não tiveram ao não ceder os assentos para idosos e grávidas no transporte coletivo.

Em vez de satanizar alunos, professores, pais, governo, porque não incentivar a convivência CORDIAL mas FIRME NO PROPÓSITO de melhorar o ensino.

Aqui perto, na Grande São Paulo na Cidade de Mairiporã vi uma comunidade de pais mudar uma escola.

A LIÇÃO DADA EM CASA é a mais importante e não tem sido muito ministrada pelos pais-professores.

Anúncios

8 Responses to EDUCAÇÃO "EXEMPLAR".

  1. crovis disse:

    Então
    A mãe fala para o filho
    Não pode roubar…
    O filho assiste na TV que o ladrão foi preso
    Chega na escola e as soras discutem a última renda da festa junina.
    : Olha Rosinha a escola arrecadou 5 mil e a diretora disse que agora ela pode cobrir o rombo da APM, ela coitadinha, tinha precisado do dinheiro, agora já está sossegada.
    Este outro é de roubo de celular
    a aluna leva o celular para a escola, aluno nao pode levar celular, professora pode.
    A aluna ao abrir a moxila deixa entrever o celular novinho, modernoso
    A sora então pega o objeto e diz
    Este voce não ve mais,não sabe que é proibido?
    Nem adianta a aluna chiar, a professora vai alegar que ela cometeu o crime de atender o celular
    Então é assim
    A familia tem que avisar
    Olha filho…roubar é proibido,é feio, mas se for a sora, aí pode.

  2. Vinicius Duarte disse:

    AEEEEEEEEEEE!

    Alvíssaras! André CPS – COM poder de síntese!

    É isso aí, caríssimo! Os caras criam monstros em casa, sem o menor esforço: basta o petiz OLHAR COMO AGE o papai/mamãe, replicar o comportamento e pronto: a culpa é do “professor tranqueira”, que não “educa”. Pelo teor dos comentários aí de baixo (e os que devem cair aqui), você vê que alguns são mestres na criação de “homenzinhos amarelos”: “filho, quando alguém disser algo que não o agrada, saia batendo”.

    PS.: Se vira aí pra responder, tô moderando…

  3. André Nogueira disse:

    Põ Vinicius, o poder de síntese acabou. Fui prolixo pacas nesse post.
    Cara, pode liberar os homenzinhos amarelos sem medo.
    Estamos aqui pra isso, certo?
    Abraço!

  4. André Nogueira disse:

    Calo Crovis,
    Primeiramente gostaria de agradecer por inaugurar os comentários de meu texto.
    Cara, vc é filho, pai ou aluno?
    O que escrevi não tem nada a ver com seu cometário.
    Vc está discutindo coisas indiscutíveis.
    Nenhum dos dois pode roubar, professor ou aluno.
    Pra vc pode?
    Aqui, salvo situações em que a ironia domina o humor do escriba, não são usadas lendas urbanas. Todas as histórias são reais. (Né não Vinicius?)

  5. Yara disse:

    Achei o texto bem oportuno. Num momento em que a vida perdeu o sentido, a familia perdeu o sentido, a educação perdeu o sentido.
    É um jogo de empurra empurra, e neste jogo as crianças sao afetadas na sua essencia, tonando-se adolescentes sem escrupulo e adultos sem respeito e sem amor…
    Ao ler este texto me coloquei numa posição de “reflexao” e de “responsabilidade”.

  6. André Nogueira disse:

    Oi Yara,
    Bom vê-la aqui.
    Principalmente por ser uma educadora abnegada, com ótima formação e principalmente que ama o que faz.
    Obrigado, bjs!

  7. Eduardo (Recife-PE) disse:

    Dar a prioridade a idosos e gestantes é uma obrigação moral que deveria ser seguida por todos à partir do dia que o estado e as empresas de transporte coletivos garantissem um atendimento humano para os usuários, enquanto esse dia não chega eu uso a regra do “dane-se, cheguei primeiro!” e quanto ao prejuizo do retrovisor do carro, um belo chute na porta seria uma ótima lição para o filho da motorista sem noção aprender cedo que sair das regras pode custar caro…

  8. Vinicius Duarte disse:

    Eduardo,

    É muito fácil deixar de fazer algo alegando que outros não fazem a sua parte.

    Multiplicando seu comportamento por 6 bilhões (população da Terra) = barbárie e selvageria. Quem pode mais chora menos, né?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: