Mimetização, forte-apache, grotões…

Pausa na “novela” pro “Obituário Eleitoral Gratuito”.

Esse aí de cima é o já bem divulgado mapa da eleição municipal em SP. Mas vai que alguém ainda não viu…
O Humberto, no seu prestigioso “BFI-O Correio da Elite” levanta uma tese: a política de distribuição de renda do governo federal, onde milhões de pessoas subiram no estrato social, tonando-se cidadãos de classe-média, teria sido “um tiro no pé” do governo federal, porque agora a “new middle-class” (vixe…) está mimetizando o comportamento político dos tradicionais classe-média paulistanos. Isso explicaria a vitória de “Chucky” Kassab no primeiro turno e, segundo o “datafuro”, ops, “datafalha”, ops, “datafolha”, a vantagem deste sobre a Marta para o segundo. Comungo parcialmente do pensamento do Capellari. Aliás, recomendo a visita ao blog, que tem um post IMPAGÁVEL, com direito a foto do brinquedo de Forte Apache e citação clássica do Pica-Pau.
Ontem, no Jornal da Globo, enquanto esperava os gols da rodada, fui obrigado a ver uma análise da pesquisa “datafuro”, ops, “datatrolha”, ops, “dataFOLHA” (ufa, saiu). Uma das perguntas feitas era o quanto influenciavam os apoios de Lula e Serra na intenção de voto do paulistano. Quase nada, responderam os eleitores. Então, por aqui, a disputa é local, sem influência externa. “O povo está comparando governos“, como diz o Dimenstein. Voltemos ao mapinha.
Apesar de pintadas de vermelho, Marta não teve uma vitória acachapante nessas regiões, principalmente nas mais próximas do “forte-apache amarelo”. Kassab, na sua cidadela, entretanto, arrebentou. Isso corroboraria o raciocínio Humbertiano da mimetização: o povo foi “incluído pelo consumo”, agora quer ser “incluído pelo seu comportamento político”, mais afeito a um verdadeiro classe-média paulistano. Só que isso não explica tudo.
Se o negócio do povo aqui  de SP é “comparar governos”, esse mapa explica claramente onde cada governo foi mais eficiente, ou não?
Por isso mesmo, como pregam os defensores de Kassab/Serra, se SP “precisa de um gerente”, a “gerente Marta” mostrou ser mais competente que Kassab/Serra na área vermelha, e a “dupla dinâmica” foi melhor na área amarela. Despido de qualquer manto ideológico, somente “comparando gestões”, bem ao gosto daqueles que acham que política é uma ciência eminentemente técnica.
E se “governar é fazer escolhas” (do inesquecível estadista G. Alckmin), se você já visitou as áreas pintadas de vermelho no mapa, faça um esforço de imaginação: sente-se na cadeira do prefeito (não como o FHC em 1985, hein?) e “faça suas escolhas”: quem precisa mais do “gerente”?
Anúncios

2 Responses to Mimetização, forte-apache, grotões…

  1. Humberto Capellari disse:

    Sempre elogioso, Vinícius. Valeu.

  2. André Nogueira disse:

    Não sei pq, mas tenho a impressão de que existem muito mais “fortes” como o mostrado pelo Humberto espalhados na parte amarela.
    Essa divisão geográfica da eleição mostra a separação sócio-econômica causada pelo custo da moradia. Os pequenos fortes espalhados na parte amarela são a separação preconceituosa, fantasiada de proteção e motivada (?) pelo medo (?) dos “invasores”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: