uPSIDE dOWN Soccer Management, INC.

Frisson na galera*! Ronaldo Fenômeno no Corinthians. Era só o que faltava pra eu ter CERTEZA ABSOLUTA de que não entendo mais nada de futebol.

Nos tempos em que eu colecionava Futebol Cards, uma contratação era avaliada pela capacidade de melhorar a equipe, fazê-la vencedora, campeã. Agora mudou tudo.
Em todos os sites e blogs que eu vi, após a bombástica e rapidíssima postagem do André, (deu 1ª pág. do Google!), a maior virtude na contratação de Ronaldo não é seu futebol: é a “marca Ronaldo”. Em síntese, não contrataram o artilheiro da Copa, contrataram um tal de “R9”. Joga bola, isso? Corinthians é time de futebol ou agência de propaganda?
Nessa leitura, eu li várias coisas que antigamente soariam absurdas, mas uma, em especial, chamou a atenção: “se Ronaldo jogar 10% do que jogava, acaba com essa zagueirada vagabunda que tem por aqui“. Futebolisticamente, já discordo, mesmo porque não acho o Fenômeno tão fenomenal assim. Nem antes, muito menos agora.
O jogo de bola, hoje (e não só por aqui), é 70% força. Ronaldo não a tem mais, nem conseguirá ter. Quem quiser acreditar que o Ronaldo, bilionário, com os dois joelhos estourados, 20 kg. acima do peso, acostumado com San Siros e Camp Nous da vida e a treinar meio-período (na Europa é assim), vá, pela força da “mística alvinegra e seu bando de loucos”:
– suar como um porco no CT de Itaquera, sob 40 graus, 8 horas/dia, para entrar em forma;
– apostar corrida com um moleque de 17 anos, zagueiro do Barueri pelo trepidante Paulistão;
– entrar em campo motivado no Marcelo Stéfani, com suas arquibancadas de madeira e vestiários acanhados;
– entrar numa dividida pesada só por causa do “patrocínio do calção”, que será o seu salário doravante.
 
Que acredite, então. Só que, se ele não fizer isso, qualquer zagueirinho meia-boca marca ele.
Lá no tempo do Futebol Cards, essas contratações de jogadores em fim de carreira e desacreditados eram só para times pequenos. Para um grande que acabou de passar por um pesadelo, tenta se reerguer e precisa ganhar títulos importantes, é um péssimo começo. Mas vai vender bastante camisa, chaveiro, boné, canequinha…
Corinthians: do Bom Retiro, direto pra 25 de março. Aliás, pro “Patrocínio do calção”, sugiro os “Armarinhos Fernando”.
* expressão cunhada pelo inesquecível Osmar Santos
Anúncios

5 Responses to uPSIDE dOWN Soccer Management, INC.

  1. carlos pizzatto disse:

    Também imagino que não vá dar certo.

    Achei estranho quando o diretor de marketing do Corinthians disse que a idéia de ter Ronaldo no Timão partiu da comissão técnica, e não de outro departamento.

    Não levei muita fé nessa informação do senhor Rosenberg.

  2. André Luís Nogueira disse:

    Pergunta: A audiência da p*$¨#*a era maior que a do p%£anheiro?rsrs
    Discordo dos 70% “força” que atribui ao futebol. A inteligência, “habilidade”, e “agilidade” neutralizam qualquer fortão (Ex: Douglas), nem que seja pra fugir da briga correndo.
    Acredito que as gravíssimas contusões de Ronaldo tenham lhe tirado todos os itens citados entre aspas.
    Esqueçamos as limitações físicas e momento de carreira. Ronaldo Gaúcho e Beckham tiveram suas contratações bancadas em boa parte pela venda de camisas e outros trecos, sendo que o primeiro estava desacreditado e o segundo é um ex-jogador em atividade (mais um termo que odeio). Isso é praxe na Europa há muito tempo e não sei se o Armarinhos Fernando tem filial por lá.
    Tem um detalhe que não foi citado ainda: a valorização dos companheiros de clube no mercado internacional. Somente pela maior visibilidade.
    Pra finalizar essa masturbação mental, a vinda de Ronaldo significa a continuidade da “Era Dualib”. Infelizmente.

    P.S.: Apesar do exagero da temperatura que citou. Se for pelo calor, não sentirá tanta saudade do Rio 40 Graus.

  3. Vinicius Duarte disse:

    André,

    resposta: não! Ronaldo é maior.

    Quanto ao Ronaldo, não dá pra jogar futebol, hoje, a sério, sem estar muito bem fisicamente. Pode dar uma de Romário, mas isso funciona bem lá no cariocão. Por isso mesmo, entre outras coisas, que Romário nunca cogitou jogar em SP.

    Se o SCCP quer visibilidade na Europa, é só ganhar umas libertadores e mundiais que se resolve o problema duplamente: alegra a galera daqui e ganha moral lá. Se começar a contratar Ronaldos, o projeto fica inviável.

    Ironias à parte, o que quis dizer foi o seguinte: o SCCP tá colocando o carro na frente dos bois. Primeiro tem de vir o esporte (vitórias), o MKT vem como acessório. Não o contrário, como está sendo feito. Não existe campeonato mundial de venda de camisas. Leão banguela e dorminhoco só enche circo no primeiro dia de espetáculo.

    O Manchester City, por ex., está tendo uma baita visibilidade internacional, mas patina nos campeonatos. É só uma bolha, daqui a pouco ninguém fala mais dele, mesmo porque jogador nenhum quer ficar em time que não disputa título.

    O “efeito Ronaldo” é o “efeito Adriano” elevado à quinta potência, inclusive no que diz respeito aos resultados em campo.

  4. Vinicius Duarte disse:

    Ah, 40 graus no Rio é uma coisa, 32 graus em Itaquera é insuportável.

  5. André Luís Nogueira disse:

    Mano, estamos falando disso desde ontem e não sei por qual razão me lembrei de Vagner Love vestindo a camisa do Corinthians…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: