A campanha é "São Paulo, NÃO!"

O blog do Silvinho iniciou uma campanha contra a escolha do Morumbi como estádio a ser utilizado na copa-2014. Os argumentos dele estão lá, e eu deixei um comentário naquele mesmo post.
Recebi aqui um comentário do Samuel – gradicido -, com o seguinte teor:

“Bom dia!

Li seu comentário no blog do Silvinho e percebi claramente que você é são paulino, e como tal, está pensando única e exclusivamente em benefícios para o seu clube, em detrimento do que é melhor para a cidade. Esse discurso de que a reforma do morumbi será com dinheiro privado é balela. E mesmo que seja real, mesmo que os tais de 130 milhões saiam realmente do bolso do SPFC, o que se discute é a aplicação de cerca de 30 bilhões de investimentos públicos na região do morumbi. Serão obras e obras de infraestrutura para um bairro que não carece dessas melhorias. Então, na verdade, o morumbi está recebendo recursos públicos de bilhões. Isso não é justo com a cidade. Isso é patético com a maior cidade do país. Se o Corinthians herdar o estádio que será construído sorte dele. Pode ser herdado pelo próprio SPFC, pelo Santos, pelo Palmeiras. Se o Corinthians não pode usar a copa para resolver seu problema histórico o São Paulo também não pode. Obrigado pela atenção.”


Resposta, para “clarear” a minha opinião sobre o assunto, por partes:

1 – Sou, sim, são-paulino, mas você errou no “objetivo” do meu comentário – apesar de lá estar bem claro que eu não quero, aqui em SP, um “Novo Engenhão”. Não quero, como não quero que o governo invista UM CENTAVO sequer no Morumbi. Pra ser mais claro, eu SOU CONTRA a realização da copa-2014 no Brasil. Simples assim. O “melhor para a cidade” é (quase) TUDO, menos usar dinheiro público para construir ou reformar estádios de futebol.
2- Da mesma forma que você diz que eu “estou interessado em benefícios para o meu clube”, eu poderia dizer que o único beneficiado pela construção de mais um estádio em SP seria o SEU clube, visto que é o único da capital que não possui estádio próprio em condições de abrigar seus jogos. Só que eu estou indo mais além, Samuel. Não quero “benefícios” para NENHUM CLUBE. Nem SPFC, nem SCCP, nem SEP, nem CAJ, nem NAC. Quem quer realmente “zelar pelo dinheiro público” deveria gritar “Fora, copa-2014!”. Qualquer tergiversação sobre o tema, no meu entender, revela interesses clubísticos. Não é o meu caso, acredite.
3- A copa-2014 vem, é inevitável (bom, quem sabe dá um terremoto, uma peste, sei lá…). Então, caso uma das cidades-sede não reúna condições para a realização dos jogos, eu penso que essa cidade deve ser EXCLUÍDA do programa. Eu disse lá no Silvinho, muito claramente: se o maior estádio da cidade é inviável, a cidade é inviável. Eu acho (mesmo) que o Morumbi é um estádio bem problemático, e que a “reforma” proposta só funciona lá na animação do computador. Agora, se o governo vai colocar $$$ naquele projeto ou construir outro estádio, as DUAS alternativas são igualmente ruins. Não tem “menas pior”. Eu já passei da fase de escolher o “menos pior”, então escolho NENHUMA, ok? Se o SPFC não arrumar grana privada pra reformar o “Panettone” – essa é boa, reconheço -, não tem jogo em SP. Se o SCCP não transformar as 4.857 maquetes confeccionadas em obras reais com dinheiro privado, fica sem estádio e acabou a conversa. Deu pra entender?
4 – Aí vem a pergunta: “bem, e aí, como fica? Não vai ter copa em SP?”. Não faço a menor idéia. Quem tem de responder isso são RT, Lula, Orlando Silva Jr., Joana Havelange e Joseph Blatter. Eles vieram com o problema, que arrumem a solução. Mas se colocarem $$ público para construir/reformar estádio de futebol, eu vou chiar, sempre.
5 – Você falou, Samuel, sobre “30 bi em investimentos de infraestrutura na região do morumbi”. Bem, não tenho esses dados, mas acho muita grana para uma região só. Acho que os 30 bi são para a CIDADE de SP toda, afinal uma copa não se resume apenas a um estádio ou seu entorno, né? E, mesmo que assim não fosse, a zona sul de SP é uma das áreas mais carentes de infraestrutura urbana. O pessoal ouve “Morumbi” e acha que é chique, mas os “bacanas” não ocupam nem 20% da região. Paraisópolis é “Morumbi”, Jd. Colombo é “Morumbi”, Campo Limpo é “Morumbi”, Capão Redondo é “Morumbi SUL”…
Essa é a minha posição sobre o caso. Eu gosto de futebol, torço por um time, mas não sou otário. Se bem que isso é só pra constar, uma vez que “eles” sempre me tratam como otário e eu só fico aqui reclamando para o vento.

Anúncios

3 Responses to A campanha é "São Paulo, NÃO!"

  1. Samuel (Joalvinegro) disse:

    Falou bem cara. Respeito pessoas com princípios e fundamentos. Também sou contra a Copa no Brasil. Só de partida já falam em mais de 100 bilhões de investimentos. Quantos hospitais, escolas, presídios, moradias não poderiam ser feitas com essa grana?Bom, mas o fato é que vai ter copa e vai jorrar essa dinheirama toda, então que seja aplicada da melhor maneira possível. Esses bairros que você falou realmente são carentes e necessitam de melhorias em infra-estrutura, mas pode esquecer. As obras serão para melhorar o acesso ao estádio do Morumbi, e com certeza ninguém tá pensando em acesso via capão redondo, jardim são luiz….
    Uma nova arena poderia sim benefiar meu clube, e não vou ser hipócrita em dizer que isso não me atrai. Mas a cidade poderia usufruir muito mais dessa arena do que somente o Corinthians. Poderia ser sim um complexo olimpico, como também uma área de lazer, aberto para a população. O engenhão não consegue atingir esse objetivo porque fica numa região péssima e perigosa do Rio, e isso faz toda a diferença. Uma nova arena em SP poderia ser projetada numa área mais centralizada da cidade, com benefícios muito mais vizíveis. O morumbi é um projeto péssimo para a cidade. Tem rivalidade nessa minha tese, mas garanto que não é o principal. Atualmente moro fora de SP, e de longe a gente percebe o quanto a cidade perde por conta de politicagem e interesses de grupos, e isso se aplica também no futebol. Valeu!

  2. Vinicius Duarte disse:

    Só pra não esticar (mais) o assunto, Samuel:

    – se você, por ex., melhorar o acesso ao estádio, automaticamente muitas dessas regiões seriam beneficiadas. Quanto ao complexo esportivo, deixe de lado essa conversinha dos RTs, Nuzmans e outros de “legado da Copa”. O “legado do Pan” está lá no RJ, só que ninguém descobriu onde até hoje: a lagoa Rodrigo de Freitas está tão fétida quanto antes do Pan, o metrô está do mesmo tamanho de antes do Pan… O que melhorou mesmo foi o BOLSO do Camargo Correia, do Norberto Odebrecht, do Nuzman, da ex-mulher dele, do cunhado dele, da atual mulher dele… e por aí vai.
    Se você fizer uma “listinha de coisas faltantes” em SP, depois de uns 420 itens vai chegar a um “complexo esportivo”. Aliás, o excelente complexo esportivo do Ibirapuera está caindo aos pedaços, e sendo usado pelos bacanas do Paraíso e adjacências. O velódromo da USP é “monouso” – só abre para “baladas” das faculdades; bicicleta, que é bom…No estádio da USP eu já até JOGUEI, rsrs, mas nunca assisti UM jogo. Cabem umas 20 mil pessoas e está lá, abandonado. Que tal o timão terminá-lo? Todos esses são exemplos de “legados”, aqui em SP.

    Abraço

  3. Samuel (Joalvinegro) disse:

    Valeu!

    Isso ainda vai dar muito assunto.

    Maneiro seu blog.

    Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: