Relaxa e goza, pô!

Adoro revoltados seletivos! Éééé, sabe aqueles que só se insurgem contra algo quando “aquele algo” os atinge diretamente? Então, vamos lá:

O prefeito Gilberto solteiro Kassab determinou a proibição dos ônibus “fretados” (aspas serão explicadas na frente) de circularem livremente pela cidade. Aliás, eu gosto muito dessas “soluções Kassabianas”: se há um problema, acaba com tudo: mais ou menos assim: tem dor de cabeça? Arranca a cabeça que passa!!!

O que é o tal “fretado”? Uma forma que a classe média encontrou de ter um “transporte coletivo pra chamar de seu”: o cara não quer ir de ônibus/metrô/trem comum, ele junta uma galera que mora/trabalha perto e aluga um ônibus privado. Não, não é bem assim. É assim: um cara tem um ônibus, e monta, ao seu bel-prazer, uma linha, define os horários, itinerários, anuncia e cobra uma mensalidade de quem quiser usar. Tucanaram o transporte clandestino! Agora é “fretado”!

O pessoal descolado da Berrini A-DO-RA (va)!!! Era chique dizer que vinha “de fretado”. E os motoristas iam parando seus monstrengos, a cada prédio, para apanhar/deixar seus clientes.  E a fila de carros/ônibus comuns aumentando atrás deles… Que porra de “fretamento” é esse, onde cada um entra no ponto que quiser e sai no ponto que desejar????

O alcaide paulistano, então, resolveu acabar com a bagunça, e estabeleceu locais de desembarque em estações de metrô e terminais de ônibus  fora do centro expandido, e assim os “fretados” não mais atrapalhariam o tráfego com suas inoportunas paradas. Falando em tucanês, isso se chama “integração dos modais”. A medida, por óbvio, revoltou os usuários, que agora descem do “fretado” e têm que se espremer no metrô destinado aos demais mortais da cidade. Aí deu chabu, porque você sabe como é, a tal EXPANSÃO SP é conversa mole, mas ELES não sabiam (não tomavam metrô nunca!). Justo eles, que são, em esmagadora maioria, os eleitores de Kassab/Serra/Alckmin et caterva, que administram o estado de SP desde milnovecentoseguaranácomrolha e construíram menos metrô do que o Maluf!

Agora os executivos da Berrini estão revoltados! Preparavam a privatização do transporte público na surdina, e vem o Kassab estragar tudo!

A todos eles, que tanto xingaram os corredores da Marta por tirar espaço dos seus carros, uma sugestão: quando entrarem no metrô lotado e levarem aquela “encoxada básica”, relaxem e gozem! Ou usem seus carros particulares, afinal a vocação de SP não é ser Paris, é ser Los Angeles.

Anúncios

14 Responses to Relaxa e goza, pô!

  1. Stella disse:

    Vinicius você é ótimo! Que figura!! Transporte coletivo para chamar de seu é muita criatividade!!! Vou twittar seu post!!! Bj

    Bondade sua… Gratíssimo!

  2. Ademir disse:

    Engraçado que aquela relação de causa e consequencia que acaba ligando tudo ao pt não acontece com governos demos-tucanos, parece que isso aconteceu como se fosse um evento da natureza.

    Os demos-tucanos nem percebem que essa falta de fiscalização por parte da imprensa acaba prejudicando-os em longo prazo….

    Exato, Ademir: se o governo é do “Lulla”, da “Martaxa”, é tudo culpa deles; se é do PSDB/DEM, parece que foi obra do ET de Varginha!

    E MUITO bem lembrado: a “fiscalização seletiva”, bem como a “indignação seletiva” prejudica a todos.

  3. Rafael disse:

    Caramba ! Já vi posts cretinos mais igual a esse … quer dizer que o cara que mora na Baixada Santista usa o fretamento pq é “uma forma que a classe média encontrou de ter um “‘transporte coletivo pra chamar de seu'” ?

    Ou o cara que mora la em Itaquera que provavelmente esta cansado de entrar no metro ABARROTADO de gente é classe média ?

    Vixe… que mundo loco…

    Vamulá, “quiridão”:

    1 – fretamento funciona assim: pega a “carga” em UM ponto, despeja em OUTRO ponto. Qualquer “variação sobre o tema” não é fretamento, é transporte coletivo. Transporte coletivo é atribuição do Estado, não de meia-dúzia que resolve decidir sobre horários, itinerários, pontos de embarque e desembarque. Se todo mundo pensar como você, simplesmente a cidade PARA, porque todos vão se achar no direito de andar e parar por toda a cidade. Entendeu?

    2 – Todo mundo achava um absurdo quando a cidade foi infestada daquelas Kombis, Towners e Bestas (lembra disso???) que singravam os mares asfálticos paulistanos, cobrindo os buracos do transporte público (sempre) deficiente. Aquilo era “clandestino”, ônibus pirata e o cacete. Agora, o busão com A/C que sai de Santo André para levar os bacanas para a Berrini, fazendo “pinga-pinga” em qualquer esquina é “Fretado”? Se liga, cabeção! Só porque vocês, usuários, colocaram um nome no seu transporte e pagam mensalidade, virou transporte público legal?

    3 – Se vocês se preocupassem com o transporte PÚBLICO (público=de todos, todos podem usar) desde SEMPRE, SP teria uns 400 km de metrô, porque os governantes seriam COBRADOS para isso. Mas não, vocês só se preocupam com os SEUS ONIBUSINHOS privatizados! Se o metrô de Itaquera está abarrotado, é porque VOCÊS todos nunca se preocuparam com isso a ponto de fazerem bloqueios na Marginal Pinheiros/Tietê (como fizeram hoje!) para sensibilizar os FDP que governam SP há milênios!

    4 – Use a sua indignação seletiva para cobrar transporte público decente para TODOS, e não só para a turminha do seu ônibus privatizado. Agindo assim, você nem estaria comentando aqui, porque esse post nem sequer seria escrito. Você iria e voltaria no transporte público!

    5 – Votou em quem, amigo?

  4. Stella disse:

    Putz Vinicius! O Rafael perdeu o rumo. Com quem o “inocente” foi se meter… kkkkkkk

    Pô, Stella, mas é foda… Essa cidade está uma merda porque esses tipos só pensam no “bem estar” deles! Só agora ele viu que o metrô é lotado (depois que tiraram o “ônibus próprio” dele)! Ouso dizer que SP é a cidade com a gente mais individualista do planeta. Os habitantes daqui só olham o lado deles. Tô de saco cheio disso.

    • Stella disse:

      Eu sei bem como você se sente! E concordo com você em relação ao individualismo paulistano (vou além: acredito que aqui em Sampa se encontre o maior grupo de reacionários, analfabetos políticos, etc, etc e etc…). Tá difícil da “nossa amada” cidade melhorar pra todos com esse individualismo exagerado.

      É, Stella. Vê aí em cima que agora eu sou o “Satã do Transporte Coletivo”. Esses caras viajam para a Índia e voltam dizendo: “nossa, lá é uma bagunça!”, como se “a bagunça”; viajam para a Europa e voltam dizendo: “nossa, lá é tudo limpinho!”, como se o “limpinho” e a “bagunça” fossem causadas por uma entidade divina, não resultado da ação popular. AREBABA!

  5. Pall Kunkanen disse:

    Impagável seus textos e por relação seu blog. Vou linká-lo e passar a ler sempre. Porque é muito bom!
    Em frente sempre irmão!!!!!!!!!!!!!!

    Valeu mesmo, Pall. Muito grato.

  6. carlos disse:

    Cara, esse papo de fretado me irrita profundamente. Trabalho no centro de São Paulo (praça da república) e esses malditos ônibus encostam em qualquer lugar pra pegar passageiro, andam no corredor de ônibus apenas quando lhe é conveniente entram em ruas estreitíssimas apenas para cortar caminho ou fugir do trânsito, enfim, prestam um deserviço à população. Para mim que ando de moto tem outro agravante, o cano de descarga desses ônibus é no parachoque, resultado, motoqueiro e os carros mais baixos sofrem com o a fumaça expelida por eles. Enfim, concordo com a restrição, além disso, o trânsito aqui no centro ficou excelente. abs.

    É isso aí, Carlos. Valeu.

  7. Em que pese o nome não pertenço à “crasse média”. Lembro do tempo (+-1990/91) em Sampa tinha o tal do Executivo, operado pela CMTC.
    A linha que eu usava saia do Pq Dom Pedro e ia até o Itaim Paulista.
    Custava um pouco mais que o normal, mas fazia menos paradas e não transportava pessoas em pé. Hoje vivo num canto do Paraná onde os ônibus andam com “meia carga”. Não sinto saudades do transito de Sampa não, e apoio o NÃO aos fretados, com aspas!!!

    Eu também me lembro desses ônibus, Conde (eram de cor cinza, né?)! Então, seria mais uma alternativa ao transporte individual, mas acho que eram subutilizados (pelo menos, a desculpa para desativar deve ter sido esta, como sempre).
    Aliás, por falar em CMTC, a putaria do TC em SP começou com a privatização e a entrega das linhas aos Ruas (nome da famiglia que domina os busões paulistanos. Valeu. Abs.

  8. Se não me engano, quem acabou com a CMTC foi o Maluf. Eu lembro do “Executivo”. Uma opção, talvez.

    É, foi ele mesmo.

  9. Kaue disse:

    Vou colocar nos blogs obrigatórios a ler, não me decepcione com os próximos posts !

    “Todo problema acabou, o virallata chegou!”
    Muito obrigado, Kaue. Mas é certo que vou decepcionar. Eu SEMPRE decepciono alguém (às vezes a mim mesmo), hehehe.

  10. Fácil politizar tudo, generalizar culpa e dar risada das desgraça alheia. Pelo visto você não entende nada sobre os fretados, apenas que eles “atrapalham” o seu deslocamento no seu carro, na hora de embarcar e desembarcar alguém. Mas vamos tentar fazer um debate, sem deboche e que explique a situação para desinformados.

    “politizar tudo” – não politizei nada. Se você não leu com atenção o post, sinto muito. “Meu carro”… NÃO TENHO CARRO. Não ando pela Berrini, Paulista, etc… Trabalho em casa! Eu sou um paulistano DESLOCAMENTO ZERO! Não teria, teoricamente, nenhum interesse nessa questão! Você, sua mulher, os caras dos carros, que se fodessem todos! Eu sou, nesta questão, TOTALMENTE isento. Não me beneficio nem dos “fretados”, nem da ausência deles. Ao contrário de você, que me escreve em benefício da SUA ESPOSA, como veremos a seguir.

    Vou dar o exemplo da minha esposa. Não interessa a opção partidaria dela, mas se for ajudar, posso dizer que ela anulou seu voto na última eleição de prefeito, no segundo turno, é claro.

    olha você aí “politizando”… Anulou o voto? Sou contra, meu irmão. Quem não fica de um lado, está sujeito a cobrança dos dois lados. No primeiro turno, votou em quem? Isso você não fala, porque o candidato pode ter migrado para um lado ou outro do segundo turno, né?

    Moramos no Campo Limpo, sul da zona sul e ela trabalha na Paulista.

    Ia de carro todos os dias, uma hora pra ir e uma hora pra voltar. Dava carona e nunca andava com o carro vazio. Mesmo assim era foda ficar duas horas dirigindo nessa cidade.

    Tentou o ônibus, uma hora em meia espremida e de pé, vendo carros invadindo os corredores e 20 minutos só para vencer o ponto da Rebouças com a Faria Lima.

    “vendo carros invadindo os corredores”. Para isso tem a CET, que todo mundo chama de “indústria de multa”.

    Tentou ir de Metrô e Trem, tinha que fazer umas baldeações, numa delas tinha que andar quase 500 metros dentro estação (Estação Santo Amaro), sabendo que com uma adaptação, a distância poderia ser reduzida para 100. Quase 2 horas de trem e metrô até a Paulista. Se descesse na Rebouças, teria que integrar com o bumba e ficar 20 minutos no cruzamento citado acima.

    “sabendo que com uma adaptação, a distância poderia ser reduzida para 100…” . Ela fez alguma representação na CPTM para sugerir a alteração? Não.

    Ela é advogada e trabalha de salto, mas ia de social e tênis, colocava o sapato no trabalho. Detalhe, tinha condições financeiras para ir de carro, mas tentava evitar a todo custo, pois além de tudo, ela sabe o quão mal ela faz a cidade com a opção de ir de carro.

    Beleza.

    Daí descobrimos uma linha fretada perto de casa. O tempo era de 1h15 minutos. O ônibus era 2008, passava por 4 vistorias por ano, fazia um trajeto determinado pela CET, PAGAVA TAXAS MUNICIPAIS, apenas cruzava a Paulista, não trafegava por ela. Detalhe, não parava aonde bem entendia, tinha pontos de parada específicos, determinados pela CET. Ou seja, já havia uma regulamentação, bastava estende-la para TODOS os fretados.

    ei, ei, peraí!!! linha “fretada”? Sabe qual a diferença ente fretamento e linha ponto-a-ponto? Não chame de fretado o que não é fretado!!! E mais, essas “4 vistorias”, “trajetos determinados” e “taxas municipais” foram criadas pela Marta Suplicy, que queria ajeitar a situação dos “fretados”. Aí chegou o Kassab e derrubou tudo. Você acha AINDA que não se deve “politizar a situação”? Fique á vontade.

    A procura foi tanta que criaram 3 linhas com intervalos de 15 minutos entre elas. O preço? 180 reais por mês, 20 reais a mais do que ela gastaria de ônibus e metrô. A pergunta, será que o transporte público, com esse preço, não poderia ter uma melhor qualidade?

    Hanhan, então multiplique esse “transporte mágico” pela quantidade suficiente para abarcar TODA a população paulistana. Agora, FAÇA FUNCIONAR. Se conseguir, peça o cargo de Secretário dos Transportes. Se funcionar só para a sua esposa, com todo o respeito, foda-se ela e os 39 que andavam de “fretado”.

    Outro detalhe, numa pesquisa interna quando tinham dois ônibus, dos 100 passageiros, 82 tinham carros. Um ônibus na rua e 82 carros a menos. Uma conta interessante não é?

    Interessante, e fora do contexto do post. Se é muito difícil para você entender, não posso fazer nada.

    Qual seu crime em optar pelo fretado? Levava quase o mesmo tempo que de carro, não tinha que esquentar a cabeça com estacionamento de carro, fazia amizades. UM amigo meu que trabalhava comigo na Vila Olimpia e voltava de fretado para Guarulhos, toda última sexta do mês promoviam festas no busão. Classe média? O cara ganhava 800 contos por mês e ia de fretado.

    Vide negritos anteriores.

    Sim, deve ter alguns ônibus que faziam isso de maneira totalmente clandestina, que barbarizavam. Mas quantos motoristas temos circulando na cidade que jamais teriam permissão de dirigir se morassem em pais onde não é possível comprar uma carta? 1500 mortes no trânsito por ano (metade de pedestres) com certeza é culpa desses maus motoristas.

    O melhor do brasileiro é justificar seu erro apoiado no erro alheio. Por isso que esta joça não anda.

    Que tal então proibir todos os motoristas de circularem na cidade? Pelo menos não teríamos mais poluição nem a carnificina no trânsito.

    vide negrito anterior.

    A prefeitura tinha sim que regularizar o sistema. Porque não resgatar as antigas “Linhas Executivas”? Porque não impor o mesmo controle que esse fretado recebia a TODOS os fretados? Porque não organiza-los em linhas como faz com o transporte “publico”.

    Isso, você monta tudo ao seu bel-prazer (ou o da sua esposa), e joga a conta para o poder público equacionar. Velho, se quer transporte de qualidade, a saída é EXIGIR isso do poder público, e não criar sua própria linha e depois pedir regularização.

    Entre aspas pois de público não tem nada, nosso sistema de transporte coletivo é privado e controlado pelas empresas de ônibus. Basta observar as garagens da perifa em horário de pico. Metade dos ônibus ficam nas garagens. Pra que colocar 2 ônbus na rua, com 70 passageiros em cada se dá pra colocar um com 200?

    colega, você vê tudo isso e fica QUIETO? Só vem mandar mensagem quando a SUA MULHER fica sem condução???

    Também tem outra maneira de acabar com os fretados, de maneira bem mais fácil e aceita por todos. Bastava melhorar o transporte público. Isso seria suficiente para limar os fretados da face da terra. Mas qual foi a opção? Quem saiu ganhando com isso?

    E quando, ANTES, você PEDIU a melhora do transporte público?

    Sugiro que leia esse artigo que escrevi, que aborda os fretados de maneira bem distinta da sua, sem preconceitos, sem politização, apenas mostrando como é.

    Vou ler e comentar lá. Abraço.

    http://www.ciclobr.com.br/diasemcarro/noticias87_Conheca_o_Joao_Paulo_ele_ia_de_fretado_mas_agora_vai_de_carro.asp

    Abraços

    André Pasqualini

  11. Cidadao disse:

    Petista recalcado detected.

    Ex-usuário de fretado detected.

  12. […] todos que passaram pelo blog e deixaram comentários aqui e/ou aqui – todos devidamente “replicados” pelo escriturário de plantão -, veio […]

  13. Fácil picotar e comentar os picotes… então vamos lá…

    “politizar tudo” – não politizei nada. Se você não leu com atenção o post, sinto muito. “Meu carro”… NÃO TENHO CARRO. Não ando pela Berrini, Paulista, etc… Trabalho em casa! Eu sou um paulistano DESLOCAMENTO ZERO! Não teria, teoricamente, nenhum interesse nessa questão! Você, sua mulher, os caras dos carros, que se fodessem todos! Eu sou, nesta questão, TOTALMENTE isento. Não me beneficio nem dos “fretados”, nem da ausência deles. Ao contrário de você, que me escreve em benefício da SUA ESPOSA, como veremos a seguir.

    “Gilberto solteiro Kassab”
    “Justo eles, que são, em esmagadora maioria, os eleitores de Kassab/Serra/Alckmin et caterva”
    “A todos eles, que tanto xingaram os corredores da Marta”

    Quanto a sua afirmação… Primeiro dá pra ver que você é daqueles que enquanto não foderem minha vida, foda-se a dos outros. Eu também sou deslocamento zero, trabalho em casa e nem por isso deixo de lutar e questionar tudo que vejo de errado.

    Não lutei e nem luto pelo benefício “DA MINHA MULHER”. Luto e lutarei a favor do transporte coletivo, do transporte digno e se navegar pelo meu site, apesar de aparentemente ser um site que fala de bicicleta, lá tem várias matérias que falam do transporte público e questionam o privilégio que os carros tem em detrimento de todos os demais modais. Isso tudo com isenção, sem partidarizar nada.

    “olha você aí “politizando”… Anulou o voto? Sou contra, meu irmão. Quem não fica de um lado, está sujeito a cobrança dos dois lados. No primeiro turno, votou em quem? Isso você não fala, porque o candidato pode ter migrado para um lado ou outro do segundo turno, né?”

    Você é contra o voto nulo, eu também. Aliás, votamos nulo só no segundo turno, onde não havia o MENOS pior. Não é questão de ficar em cima do muro. É questão de princípios. Por exemplo, eu votava no PT, fazia campanha para o PT de graça, mas hoje, por coerência, é praticamente impossível eu votar em alguém do PT. Nem por isso eu vou politizar uma questão tão séria como mobilidade urbana.

    Aliás, no primeiro turno eu votei na Soninha. No segundo turno o partido dela apoiou o Kassab (ela não apoiou ninguém) e como eu voto em quem eu acho melhor e não em quem me mandam, como não achei melhor resolvi anular.

    ““vendo carros invadindo os corredores”. Para isso tem a CET, que todo mundo chama de “indústria de multa”.”

    CET? Tá na hora de sair do seu casulo, pois quem anda na rua, sabe que CET só multa rodizio nessa cidade.

    ““sabendo que com uma adaptação, a distância poderia ser reduzida para 100…” . Ela fez alguma representação na CPTM para sugerir a alteração? Não.”

    Ela não fez, mas eu fiz. Navegue lá no meu site e você verá que eu devo ser um dos caras que mais questionam, reclamam e dá opiniões nessa cidade.

    ei, ei, peraí!!! linha “fretada”? Sabe qual a diferença ente fretamento e linha ponto-a-ponto? Não chame de fretado o que não é fretado!!! E mais, essas “4 vistorias”, “trajetos determinados” e “taxas municipais” foram criadas pela Marta Suplicy, que queria ajeitar a situação dos “fretados”. Aí chegou o Kassab e derrubou tudo. Você acha AINDA que não se deve “politizar a situação”? Fique á vontade.

    Linha ponto a ponto, que eu saiba, são as linhas que fazem paradas nos pontos determinados pela prefeitura. Que diferença faz nomenclatura? Precisa explicar a diferença entre um ônibus fretado e uma linha comum?

    A Marta fez muita coisa boa sim no que diz respeito aos transportes, não devo negar. O Governo Lula também fez muita coisa boa também, dá pra fazer uma lista enorme. Agora é assim? Se o cara faz algo bom dá o direito de fazer um monte de cagadas?

    Enquanto você tenta politizar a questão, eu uso o exemplo do fretados para questionar essa política de mobilidade urbana que acaba com nossas cidades em benefício do automóvel particular privado.

    “Interessante, e fora do contexto do post. Se é muito difícil para você entender, não posso fazer nada.”

    Realmente fora do contexto, enquanto o post quis apenas politizar a questão, eu tentei apontar os problemas que essa medida traria pra toda a cidade.

    Achei que você precisasse de informação para falar sobre o tema e procurei passar. Mas pra quem pensa só em PT versus PSDB, pra que interessa informação? A única coisa que você precisa saber é de que lado venho. É bom, mas é do PSDB? Então não vou apoiar.

    “O melhor do brasileiro é justificar seu erro apoiado no erro alheio. Por isso que esta joça não anda.”

    Não justifiquei erro algum. Sou completamente a favor da regulamentação dos fretados, que eles tenham rotas e pontos definidos, que eles recolham impostos, tenham controle de qualidade, que a prefeitura regule. Sou contra proibição deles como foi promovida pela prefeitura. O problema é que a alegação da Prefeitura e dos que são a favor, é que eles cometiam várias irregularidades. Daí dei o exemplo acima.

    “Isso, você monta tudo ao seu bel-prazer (ou o da sua esposa), e joga a conta para o poder público equacionar. Velho, se quer transporte de qualidade, a saída é EXIGIR isso do poder público, e não criar sua própria linha e depois pedir regularização.”

    Eu monto nada, a situação já está aí. Não tem essa de mandar a conta pra prefeitura, pelo contrário, ela pode até arrecadar uma boa grana com mais esse serviço.

    Mas não precisa fazer como a Marta, abrindo as pernas para as vans clandestinas. Ou você esqueceu? Senão eu te lembro. No começo uns caras que tinham umas peruas encostadas criavam uns pontos onde o estado não chegava e montavam uma linha. Daí aparecia outra perua, mais outra perua, até que os primeiros viravam “Donos” da linha e os demais tinham que pagar aos donos.

    O crime organizado, vendo que a coisa tava dando dinheiro, resolveu lavar a grana do trafico comprando vans e colocando uns malucos armados pra fugir da fiscalização.

    Depois venho a Marta com a proposta de organizar. Iria implantar o mesmo modelo de Ribeirão, onde cadastravam cada perua e o motorista ganhava 3 mil reais por mês, não ganhava por passageiro e tinha que fazer as viagens determinadas pela SPTrans. Aqui em São Paulo o valor seria de 4 mil reais por mês. O que aconteceu?

    Os novos “donos” das linhas fizeram um auê, queimaram uns mil ônibus e a prefeitura abriu as pernas, deixando as cooperativas determinarem quem fica em qual linha e ganhando por passageiro. Quem é que manda nas cooperativas?

    Portanto tanto ela como eu, estamos sim cobrando um transporte público digno, não só para nós, mas para toda a cidade, para que todos possam deixar seus carros em casa. Mas enquanto essa porcaria não melhora, ao menos privilegie as pessoas que querem deixar seus carros. Se quiserem optar pelo fretado, ótimo, prefiro um bumba na rua do que 30 carros.

    “colega, você vê tudo isso e fica QUIETO? Só vem mandar mensagem quando a SUA MULHER fica sem condução???”

    “E quando, ANTES, você PEDIU a melhora do transporte público?”

    MUITAS VEZES!!! Não só peço como faço o possível para influenciar as pessoas a fazerem o mesmo e também interajo com o poder público cobrando melhorias. Se perdesse 15 minutos no meu site veria que canso de fazer isso.

    Eu vi o teu blog, Pasqualini. Realmente, “picotando” é mais fácil, mas para o entendimento de quem lê. Pra mim, tanto faz no final ou “picotando”.
    Pô, André. Se você lesse o que eu escrevi nos três posts despido de paixão pela causa, veria que a única coisa que eu não quero pra ninguém que é cidadão de SP é se foder. E, na boa, vendo o CicloBr eu vi que você é cidadão. Muito do que tem no post não se aplica a você (e à tua mulher, por extensão). Agora, vê só uma provocação: a tua candidata no 1º turno (eu sabia, heheeh) é SUBPREFEITA DO KASSAB!
    Quanto á política da Marta nos transportes, André: ela fez o que foi POSSÍVEL (e, sinceramente, muito mais do que o esperado), diante do CAOS deixado pelo Pittamaluf. Os clandestinos foram “obra de Maluf”, velho. Quando a muié entrou, tava TUDO dominado. Ela sentou, sim, até com o PCC pra ajeitar as coisas. Se fosse pra porrada (como Kassab sempre faz – e fez de novo), SP virava uma praça de guerra.
    Nem vou mais esticar isso. Só explicar mais UMA COISA, que eu falei várias vezes, mas você não entendeu (ou não fui claro): quando eu falo que FRETAMENTO é PONTO A PONTO, é assim: pega todo mundo em UM SÓ PONTO, despeja todo mundo em UM SÓ OUTRO PONTO. Qualquer modalidade de TC diferente disso, não pode ser chamada de fretamento. Abraço e valeu pela contribuição ao blog.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: