“Suposta News”, o maior jornal do mundo

Este suposto post é um suposto protesto contra a suposta tendência jornalística de colocar, supostamente, a palavra “suposto” em todos os parágrafos de todos os textos supostamente produzidos.

“SUPOSTA BALA PERDIDA mata garota e causa revolta em SP”. (UOL)

Veja o exemplo: até objetos materiais incontroversos (como uma bala de revólver) tornam-se duvidosos. A menina foi baleada? Sim. Então, como a pessoa pode ter sido atingida por um “suposto” objeto? Os mais argutos diriam: “ah, mas o ‘suposto’ refere-se ao fato de que a bala pode ser ‘perdida’ ou não”. “Peralá”, já diria Afanasio Jazadji: é difícil fazer uma manchete assim: “Garota é morta a tiro e causa revolta em SP”??? Esse é o fato! Na manchete original, são 53 toques; nesta nova, são 43. Dez toques a menos. Mais afirmativa. Mais informativa. A manchete original faz com que pensemos até se a menina morreu baleada mesmo, ou que a revolta poderia ter outros motivos que não a menina. Em outras palavras, cliquei na notícia para saber o que se passa e saí sem saber.

A missão de um veículo de informação não é encher de dúvidas o leitor, e o uso indiscriminado do “suposto” e suas variações, além de ser um atestado de jornalismo medroso – não se compromete com nada -, denota que houve preguiça em apurar o fato. Sim, porque é só escrever o tal “suposto”, que na matéria seguinte você pode desmentir tudo o que escreveu.

Veja os exemplos:

Manchete 1: SUPOSTA GRANADA interdita ponte do Limão.

Desmentido1 : SUPOSTA GRANADA era vidro de perfume.

Poderia ser assim:

Manchete 2: Ameaça de bomba interdita ponte do Limão.

Desmentido 2: “bomba” na ponte era apenas vidro de perfume.

Como queria demonstrar, o uso do “suposto” era totalmente dispensável.

Anúncios

2 Responses to “Suposta News”, o maior jornal do mundo

  1. Como demonstrado nos versos de pé quebrado:

    “Suposta rima com bosta!
    Fonte rima com monte!
    Suposta, ou suspeito
    São medidas de efeito
    de jornalismo com defeito.
    Ou vai ou racha ou
    lasca a tampa da caixa.”

    Se o jornal/jornalista não aguenta por que escreve.

    Exatamente. Mas eu acho que isso é uma epidemia de cuzonice que assola o mundo. Todo mundo faz questão de não se comprometer com porra nenhuma. É a “sociedade dos caras bacanas”, e, consequentemente, mais falsa que nota de R$ 8,00.

  2. Rildo Rego Souto de Paulo disse:

    Perfeito.

    Rildo Rego Souto de Paulo??? Sensacional, dá pra fazer pegadinha na ESPN! Mas prefiro o Servílio Gentil Lavapés.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: