Dona São Paulo, sapato não “lasseia”!!

Vasculhando esta lixeira, um post de outubro/2009, onde eu escrevi:

Quando você aumenta a bitola da “nova marginal”, os carros vão ter de sair para algum lugar, não? E eles vão para onde? Para as “torneiras de carros”: as ruas, avenidas e rodovias que partem da via expressa. E para essas não há obra possível que as “alargue” mais, senão vamos ter de ir derrubando nossas casas, escritórios e lojas para os carros passarem.

Pois bem: a poucos meses da inauguração da maldita “Nova Marginal”, uma reportagem do R7 de hoje escreveu o que segue:

Sérgio Ejzenberg, também especialista em trânsito, explica que o impacto da ampliação da marginal não pode ser analisado considerando-se apenas o comportamento da via. Ele afirma que o que realmente importa para o motorista é se sua viagem, normalmente iniciada fora da marginal, vai ter o tempo reduzido.

– Com a marginal fluindo bem, ela vai jogar mais carros em corredores que não foram modificados e o tempo nesses corredores vai aumentar.

Eu não sou “especialista em trânsito”. Só não sou burro ou mal intencionado. Serra não é um cara burro. Kassab não é burro.

Também não estou preocupado em ter razão, ou mostrar que poderia ser presidente da CET. Sou um cidadão desesperado, vendo a cidade onde moro tomando rumos incompatíveis com a convivência urbana minimamente saudável. SP é como aquele cara que vai à loja de sapatos, experimenta, vê que o modelo está apertado e diz pra si mesmo: “vou levar, com o uso lasseia.” . Enquanto não “lasseia” o sapato, cobre o pé de bolhas e calos.

Há de se destacar também a cobertura da imprensa: ela adora apontar os problemas quando a merda já está feita. Matérias como esta aí do link e a anterior vão pipocar em todos os sites, jornais e revistas. Só que agora não adianta mais e, à época do início das obras, o que se via era ISTO, ISTO ou ISTO.

São Paulo caminha para o abismo. Voluntariamente, e dando risada da situação. Parabéns aos envolvidos.

Anúncios

26 Responses to Dona São Paulo, sapato não “lasseia”!!

  1. Fábio Peres disse:

    Kassab não é burro, tampouco Serra é burro – burra é a população que se “orgulha” de uma obra cada vez mais cara, que não termina nunca e que, quando encerrada, servirá mais para tornar a Marginal em rodovia defintivamente (pois teremos semáforos para entrar nela, economizando o tempo dentro da marginal mas aumentando o tempo para entrar nela).

    O fato é que a Nova Marginal nada mais é do que o trecho norte do Rodoanel que não deverá ser construído por problemas ambientais (tem uma Serra da Mantiqueira no meio do caminho) – mas já viu algum político ser sincero? De verdade?

    Essa dos semáforos é a maior prova que essa merda não serve pra nada: ele vai mostrar a marginal fluindo e esconder o congestionamento monstro na entrada. Fim da picada, SP!

  2. qualquergordotemblog disse:

    O penúltimo parágrafo é o mais lúcido de todos. Realmente essa imprensa só aponta as falhas depois que a merda já tá feita. E reclama horrores quando o Lula fala umas verdades sobre a mesma.

    Não compro muuuito essa conversa de imprensa vendida, mas tem certos episódios em que é a única explicação cabível. E tem uma fita aí: a imprensa é useira e vezeira em tirar o cu da seringa (existe injeção no cu?) quando se trata em defender causas, mobilizar a população em assuntos verdadeiramente importantes. E isso é papel da imprensa, pra mim.

  3. Jairo Teixeira Mendes Abrahão disse:

    Em primeiro lugar dirijo-me ao blog:por que vc escreve tão pouco? è tão bom lê-lo!
    Em segundo lugar a “Qualquer gordo…”: a seringa do dito popular não se refere à injeções, mas à lavagens intestinais. No entanto, cu tambem toma injeção!

    Jairo – Porto Seguro, BA.

    Pô, Jairo, valeu mesmo! É que me falta assunto. E a referência à seringa fui eu que fiz. Verdade, quando fazem lavagem intestinal, usam seringa.

  4. Luiz Carlos disse:

    Além da questão das obras equivocadas deve-se observar também o crescimento absurdo da frota de veículos. A indústria automobilística mostra seu poder de fogo e é sempre a primeira a ser socorrida nos momentos de crise. As vendas explodem e os espaços urbanos entopem. Aqui em BH, que é cidade pequena se comparada a SP, o problema da mobilidade se agrava rapidamente. A empresa que controla o tráfego informou que na última década a frota creceu 500% e que até a copa de 2014 vamos ter em torno de 7 milhões de carros e motos emplacados. Parece consenso que a solução é a priorização do transporte coletivo, porém, como definitivamente esse serviço não funciona o problema simplesmente não tem solução. E haja obra!!!

    Pois é, tem isso. É histórico o movimento brasileiro em direção ao transporte individual. Um transporte burro e caro, principalmente dentro das cidades. E é um movimento que só o poder público pode frear, através de estímulo ao transporte coletivo. Em vez disso, os governos insistem em gastar dinheiro com obras idiotas como essa marginal.

  5. lucas disse:

    Porra, demorou para o Dr.Brown implantar uma indústria automobilística em Hill Valey, e começar a produzir em série De Lorean voadores
    Ai é só torcer para que nenhum Legacy cruze nosso caminho.

    Aí, sim, será o caosaereo! 😀

  6. Claudio disse:

    Cara, chegou tão ao limite e o nível de filhadaputice da dupla Serra/Kassab é tão elevado que teve congestionamento em ciclovia:

    http://fotos.estadao.com.br/congestionamento-de-biciletas-na-ciclovia-da-marginal-pinheiros-nesse-domingo7070-32010,galeria,,91839,,57,0.htm

    Aí um gaiato soltou por aí que o Serra, pra evitar esse tipo de coisa, vai meter uns pedágios…

    Como eu sempre digo, sorria, SP!

    E essa “ciclovia” ainda é daquelas obras que levam do nada ao lugar nenhum. Só serve pra passear no fim de semana. Se o maluco quer ir trampar de bicicleta, é roça.

    • Claudio disse:

      Aquela pintada no chão da Helio Pellegrino sumiu, desapareceu, em menos de um ano.

      Tá tipo a roupa (e a falta de senso) da Soninha.

      Aquela bosta, a única ciclovia do universo onde o ciclista era obrigado a descer da bicicleta e esperar o semáforo pra atravessar a rua. E um trecho tinha de ir pela calçada.

    • André Nogueira disse:

      Sem falar que super agradável pedalar respirando o futum que o Rio Pinheiros exala. Nos dias quentes o bafo fedorento e ácido do rio (nem vou citar a poluição que vem da pista expressa) tem a companhia dos mosquitos e pernilongos pelo bucólico trajeto é muito prazeirosa.
      A ciclovia da Faria Lima deveria começar na Hélio Pelegrino, continuar na Pedroso de Morais/Fonseca Rodrigues (Vila Lobos)/Gastão Vidigal e chegar até a Marginal Tietê. Parou na junção da Faria Lima com a Pedroso. Cá entre nós é um trajeto muito mais agradável que a beira do fedorento rio.
      Mudando + ou – de assunto, andei pela ponte da Eusébio Matoso uns 15 dias atrás. Observei uma ilha de aproximadamente 20 cm no centro do Rio. Há qto tempo não fazem o desassoreamento do Pinheiros? Logo os ciclistas poderão atravessar o rio pela passarela de areia.

      Pode ser o Monstro do Lago Ness fazendo turismo, também. E esse trajeto de ciclovia aí “atrapaia us carro”, sabe?

      • André Nogueira disse:

        Por falar em atrapalhar, afirmo que pelo menos 10% do trânsito paulistano é causado pela falta de habilidade e atençaõ ao volante.

        Exemplificarei.Existe um semáforo no cruzamento da Groenlândia com a 9 de julho que libera o fluxo de veículos por uns 15 segundos. Temos que esperar os cabaços perceberem que o sinal está verde (pois não têm o hábito de observar o amarelamento do semáforo da outra via), olhar para o cambio, pisar na embreagem, pressionar o celular com a zoreba contra o ombro, acelerar e queimar fricção. Esse féladaputa faz com que apenas 3 carros de sua faixa passem pelo cruzamento. O próximo verde virá depois de uns 3 minutos. Sem contar os que estão atrás e sem a pressão de serem os primeiros da fila. É progressão geométrica.
        Imagine agora as entradas das marginais com semáforos…….
        Não, não estou neurótico. Nem fico nervoso com isso. Saio mais cedo de casa justamente pra não sofrer dos nervos.

        Esse cruzamento é foda, mesmo. É a alegria dos vendedores ambulantes. Uma dica: quando estiver muito cheio (se estiver batendo na Rua França, caia fora (serão 4 ou 5 semáforos), entre à direita, passe ali pelo consulado do México e atravesse pela João Cachoeira. Anda mais, mas é mais rápido.

  7. Me lembro de quando comecei a trabalhar (1970). Morava no Condado do Itaim Paulista e me deslocava de “buzão” até a Av. Senador Queiróz. A Marginal era o meio mais rápido, descia na Av. P. Maia. Hoje, de longe, me parece que tem congestionamento até de helicópteros sobre a Marginal.
    Torniquete segura a hemorragia, mas é por muito pouco tempo.

    Você mandou um comentário parecido lá no outro post, não foi?

  8. Bomber disse:

    Entra ano, sai ano e ninguém faz o que realmente precisa ser feito:

    1) Investir pesado no transporte público: Mais ônibus, mais metrô (com material de qualidade e escavando no local certo)

    2) Fiscalização séria em veículos que não tenham condições de rodar, se não tem o mínimo de segurança ou deve imposto, que seja apreendido.

    3) Finalmente terminar o famigerado Rodoanel (também com materiais de qualidade).

    4) Criação de mais pólos empresariais espalhados pela cidade espalhados por zona, assim aumenta a chance de uma pessoa conseguir emprego mais perto de casa. Isso ajudaria muito o pessoal da ZL. Hoje parece que as vagas de mercado estão concentradas mais ou menos em 70% nas regiões do Centro, Paulista, Brooklin, etc. E as empresas seriam atraídas por Benefícios Fiscais.
    Não sei se é viável, mas acho que caberia discussão.

    [F1or1 Mode:on]
    Acorda Brasil!
    Bomber – Cidadão nada exemplar , Ex Office Boy e atual Analista de Sistemas
    [F1or1 Mode:off]

    É viável, e já foi projetado umas 500 vezes. Mas ninguém levou adiante.

  9. Mario Dourado disse:

    Não tô defendendo o Serra, mas a questão toda é que se a Marginal for o gargalo, e às vezes me parece que é mesmo, as obras vão ajudar. Por exemplo, o trânsito na Dutra sempre piora quando chegando em Sampa. Nesse ponto, acho que a obra pode ajudar. Mas o mais importante seria mesmo a distribuição de pólos empresariais pela cidade, para que quem mora na ZL (por exemplo) pudesse trabalhar por lá.

    Não precisa ter medo, Mario. Pode defender o Serra aqui (por sua conta e risco, claro 😀 ). A Marginal não é gargalo. SP tem mais de 6 milhões de carros, e licencia 1000 novos por dia. E todos querem ir às ruas, porque, entre outros motivos, não existe transporte público decente. Este é o gargalo. Mais ou menos como tentar pôr água num copo cheio até a boca. Transborda. O certo seria fechar a torneira, não comprar outro copo. Afinal, só se bebe em um.

  10. Sabe o que acho gozado, o número de pessoas preocupadas com o povo da Z. Leste! Fico besta. Quer dizer que o povo que vem de Guarulhos, São José dos Campos, Guararema, Santa Isabel, Mairiporã, Arujá (com seus condomínios) não afetam a Marginal agora o povo do z. Leste sim?
    Tem um cheiro de discriminação aí! As zona Norte, Sul, Oeste não congestionam a Marginal né? Ora veja! A solução é alagar, como tentaram fazer, a zona Leste?
    Não.
    Apontem outros culpados! Galera da Z.L é a que mais usa transporte público cara. Ônibus, Trem e Metrô andam lotados o dia inteiro. Vinicius, desculpa aí o desabafo mas não dá.

    É que a ZL tem muita característica de “dormitório”, é praticamente 100% residencial. Então todo mundo se desloca pro mesmo lugar, ao mesmo tempo. Acho que é nesse sentido aí. Não fique bravo. É dura a vida de um nobre para defender seu reino, eu sei. 🙂

    • Bomber disse:

      Conde,

      Se pareceu que em algum momento quis ofender a ZL, me desculpe, não foi essa a intenção e nem tentar discriminar a ZL ok? Quis dizer no sentido que o Vinícius explicou no comentário.
      Quanto a sua pergunta, não quis dizer que só a ZL que enche a Marginal, mesmo porque a maior parte da minha trajetória profissional trabalhei em empresas na ZS, mais especificamente no Centro Empresarial na Ponte João Dias e moro na ZN e era mais um entrar sozinho no carro e pegar a Marginal…
      Hoje trabalho no Centro vou de ônibus. 😉

      Abraços

      • Liga não cara.
        É só o proleta defendendo seu lado.
        Aliás estou a 600km de distância de tudo isso, comentei por quê vivi muito tempo em SP. Onde moro hoje se juntar 4 carros no “sinaleiro” os caras chegam no boteco reclamando: Puta merda, carai, dá uma gelada que peguei um congesta da porra!!!

  11. Daniel disse:

    Vinicius,

    Acompanho seu ótimo blog há algum tempo (agradeça ao 1nho, rs), mas este é o meu primeiro comentário.

    Moro em Guarulhos (e sim, nós causamos boa parte do trânsito de SP) e trabalho em Moema. No início tentei o transporte coletivo, mas eram 2 ônibus e metrô entupidos e demorados; chegava suado e fedendo a gambá dentro do terno amassado. Desisti, dei uma bica no política/ecologicamente correto e aderi ao individualismo… Hoje vou ao trabalho de carro, que apesar de ultimamente demorar quase a mesma coisa, é inegavelmente mais confortável.

    Antes eu pegava a Dutra e um trecho pequeno da Marginal (até a V. Guilherme) e dali escapava para uns caminhos alternativos. Na volta, pegava mais ou menos o mesmo trecho no sentido contrário.

    Agora é IMPOSSÍVEL pegar a M. Tietê, simplesmente não dá, e só ando “por dentro”. Só que meus caminhos alternativos, que eram ruas de bairro, viraram avenidas congestionadas (obrigado, rádio Sul América), com gente de monte trafegando na contra-mão, acostamento, calçada, para furar as filas de carros.

    Levava de quarenta minutos a uma hora para chegar ao meu trabalho e para voltar pra casa, em média. Hoje demoro de 1h30 a 2h, sendo que mais da metade deste tempo se resume a Dutra / redondezas da M. Tietê. Rezo todos os dias para que isso seja resultado das obras que ainda não terminaram, mas temo que esteja rezando em vão, por vários motivos:

    – os caras criaram uma 3ª e até uma 4ª pista entre as pistas local e expressa da M. Tietê, e com isso criararam também uma série de entradas e saídas entre as pistas, que, na minha opinião, prejudicam demais o trânsito, pois além da necessária diminuição de velocidade, há as filas duplas (triplas, quádruplas…) de espertões querendo pegar a entrada ou saída no último instante, na frente de todos os outros otários;

    – há obras sendo executadas no trecho de pista local da Marginal que pego na volta, mas ele está com o mesmo número de pistas e largura que sempre teve, e agora levo uns 20 minutos a mais para percorrê-lo (fora que nem a visão das lindas árvores que enfeitavam o caminho no fim de tarde tenho mais);

    – o trânsito da Dutra e da cidade de Guarulhos (que há poucos anos era o paraíso se comparado a São Paulo) está cada vez mais insuportável, sendo que a Dutra está impraticável; vc desce da ponte da Marginal e a Dutra pára. Na volta pra casa tenho demorado 30minutos para percorrer os menos de 5km de Dutra que pego todo os dias. Creio que o motivo para isso seja o aumento desenfreado da frota de carros.

    Mudar para SP? Nem pensar… Vc já experimentou abrir os classificados de imóveis da capital? Da z. sul / oeste, então… Imóvel em Guarulhos é caro, mas em SP está um assalto.

    Infelizmente os caras que mandam adoram jogar pra torcida, e não pega bem implementar um sistema de transporte digno e falar para um orgulhoso paulistano pegar um ônibus. Dá voto criar avenidas maravilhosas, com prédios espelhados, pro paulistano desfilar seu SUV ou seu “popular” de 30 mil mangos.

    O Rodoanel é outra coisa de “jênio”… Além de ser inviável, os nossos amigos tucanos já iniciaram o plantio de pedágios.. Será que os caminhoneiros aguardarão nas filas das praças de pedágio para pagar a tarifa camarada do pedágio do Zé?

    Acho que, no fundo, o plano dos digníssimos governantes é ferrar o trânsito de tal forma que essa geração morra enfartada aos 40, ou se mate no trânsito antes dos 30 (acidentes, brigas, atropelamentos…), dando assim uma solução mais definitiva pro trânsito.

    Desculpe-me pelo longo desabafo… Compensou o tempo que passei sem comentar!

    Abraços

    Valeu, Daniel. É bom que seu desabafo fique registrado. Se eu morasse em Guarulhos e trabalhasse em SP, trataria de arrumar um carro também. Não dá pra suportar o precário transp. coletivo de lá pra cá. A casa tá caindo, e os paulistanos acham que tá legal. Abs.

  12. Vinícius, uma cidade com milhões de habitantes não tem solução, camarada. Pode não ser politicamente correto dizer isso, pode não ser agradável, mas é a verdade. Megalópole bonita, sem poluição, com trânsito desimpedido e bons serviços públicos é uma quimera irrealizável. Isso non ecziste, nem vai existir.

    Qual é a solução, então? Simples: desmontar São Paulo e redistribuir seus habitantes para outras regiões do país. Atenção: eu disse “simples”, não disse “fácil”.

    Porto Alegre tem um milhão e trezentos mil habitantes e já está virada em um inferno horroroso, com altos índices de poluição, engarrafamentos até mesmo em horário noturno e péssimos serviços públicos. Sabes o que eu vou fazer? Já contei por aqui: vou me mudar para uma cidade de interior, num bairro distante do centro, na beira da praia. Uma pacata aldeiazinha de pescadores.

    A todos que se incomodam com as vicissitudes da vida urbana, recomendo uma estratégia semelhante. A breve dor da mudança e da readaptação é bem menor que o estresse crescente de um ambiente que só tende a piorar.

    Existem cidades tão grandes quanto SP que apresentam soluções para minimizar os problemas inerentes às grandes concentrações populacionais. E isso não se faz aqui. Não quero “o mundo perfeito”, quero que os governantes procurem saídas que contemplem A MAIORIA. E a maioria (ainda) não pôde optar por transporte individual.

    • André disse:

      Pode não ser muito barato, mas existem soluções para os principais problemas de São Paulo. Só não dá para querer implantar em São Paulo o modo de vida de Jacutinga.

      Aqui não se implanta o que resolve, se implanta o que dá mais “rentabilidade”.

  13. A diferença entre o câncer e o tecido saudável não é apenas o crescimento desordenado, mas também… o simples crescimento. Um tumor encistado não cresce desordenadamente, mas o seu centro morre, apodrece e libera toxinas em função de as células mais ao centro não conseguirem receber oxigênio e nutrientes, que são consumidos pelas células mais próximas à periferia.

    Se desse para colocar uma artéria irrigando o interior do tumor o problema ainda assim não seria resolvido, pois o calibre da artéria teria que se tornar cada vez maior para permitir um fluxo cada vez maior conforme aumentassem o tamanho e portanto as necessidades do tumor. Aí seriam também necessárias veias cada vez maiores, para permitir a liberação de cada vez mais toxinas.

    Mesmo inseridas novas artérias e veias do calibre necessário, começaria a haver dificuldade de circulação devido à pressão do sangue, que exigiria um bombeamento mais potente para vencer distâncias cada vez maiores e capilarizar regiões cada vez maiores, sobrecarregando o coração.

    Ou seja: mesmo que o crescimento fosse ordenado, começaria a haver problemas em outros lugares como reflexo necessário das modificações necessárias para corrigir os problemas nas regiões de maior crescimento. É uma questão de escala.

    “Ah”, dirão, “mas um câncer não tem nada a ver com uma cidade”.

    E eu responderei: “HAHAHAHAHAHA!!!” 🙂

    São Paulo é um imenso tumor a céu aberto. Além do crescimento desordenado, o simples crescimento excessivo exige soluções em escalas impossíveis. É questão bem conhecida de quem estuda TGS (Teoria Geral dos Sistemas).

    Minha solução para São Paulo: derrubar 90% da cidade e distribuir os habitantes pelo Brasil. Escolham uma quadra bem no centro para começar a intervenção e comecem a desapropriação gradualmente, eliminando arranha-céus, impedindo novas construções e criando novas áreas verdes.

    .

    .

    .

    Tá, eu sei que isso nunca será feito, exatamente por isso eu disse que recomendo a quem sofre com a estúpida super-urbanização da região que se mude para um lugar mais saudável. São Paulo não tem solução viável.

    OK. De acordo com o laudo acima, decretada a morte de SP por falência múltipla de órgãos. Em fila indiana, já! Vamos todos para as montanhas!

    • André disse:

      Já tem um tempo que São Paulo estacionou (ops!) em 11 milhões de habitantes. O que está crescendo é o número de carros circulando, fruto de uma opção errada de transporte. Se essa opção for alterada ainda poderá haver qualidade de vida em São Paulo. O problema de fazer isso agora, e não na década de 70, é o custo.

      Exatamente. Já enrolaram muito, agora pra dar uma mexidinha é uma bagunça.

    • Vinícius, eu fugi para as montanhas. Aliás, para as praias. 😉

      Parabéns, resolveu o seu problema.

  14. Desculpe o desabafo que não tem nada a ver com o post, mas…Caralho, será que ninguém percebeu que mataram o Glauco, porra? Que mundo de merda é esse?

    Eu percebi, Matheus. Falei bastante sobre isso no twitter. Não fiz post aqui porque 1) já falaram à exaustão sobre o assunto, e 2) eu não curto muito escrever sobre alguém imediatamente após sua morte, pra não cair na armadilha do passionalismo barato (vide 1nho e Juca, entre muitas outras merdas que andei lendo). Aqui, a única exceção foi pro Michael Jackson, por razões absolutamente pessoais.

  15. sim jose serra é muito fdp , só trabalha para os ricos , enquandtos os amas sem atendimento correto , sem pediatras e , quando tem , ão sabem nem tampouco oque estão fazendo la

  16. vai ter uma epoca , que são paulo vai esta tão congestionado qe não vai dar nem pra andar de bicicleta,vamos tenque comprar barquinho pra andar pela marginal pinheiros ou tiete . essa cidade ainda vai entrar em caos , e não falta muito pra isso.
    demoro quase 3:00 hrs pra chegar em casa , e isso é só quando não tem transito na marginal , quando tem fico 5 hrs preso no transito , A dialma agora entrou na presidencia , oq ela está fazendo essas horas ?
    nao vi nenhuma vantagem em votar nela , nada melhorou , nem tampouco votaria no serra tbm,
    queria mesmo que a marina ganhasse , o brasil teria muito mais futuro pela frente , pena que ela entrou em um partido muito desconhecido , muito fraco álias

  17. EE NATAL CHEGOOOOOO ! feliz natal pra vcs tbm’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: