Morro do Bumba era feito de LIXO

Foto: Fernando Quevedo - Globo

Bombeiros trabalhando no ex-aterro sanitário - Foto: Fernando Quevedo (O Globo)

O Morro do Bumba, que deslizou esta madrugada em Niterói, não era um montanha de terra e rochas, daquelas que a gente conhece. Era uma montanha de lixo acumulado. Exatamente: durante décadas, a região recebeu os detritos dos niteroienses; encheu de lixo e o aterro foi coberto e desativado. Em seguida, chegaram as pessoas e, vendo aquele terrenão baldio dando sopa, construíram suas casas em cima. Ninguém falou nada.

O Estado nem pode dizer que não sabia, veja a foto: tem poste de luz instalado. Muito provavelmente tinha água encanada, afinal não é lá muito fácil achar água potável cavando poço num ex-lixão. A comunidade está no local há, pelo menos, vinte anos.

A humanidade vem passando por evoluções profundas na ciência e tecnologia, mas nada disso vai ajudar na nossa permanência na Terra, tenha certeza. Estamos nos transformando num bando de covardes, irresponsáveis, individualistas, gananciosos e omissos. Permitir que semelhantes se estabeleçam sobre montanhas de lixo por décadas, sem ao menos tentar impedir ou remover, passa de qualquer limite aceitável de leniência e descaso. Descaso de todos: meu, seu, deles.

Essa chuva no Rio de Janeiro ainda vai trazer muita sujeira à tona.

Anúncios

48 Responses to Morro do Bumba era feito de LIXO

  1. Gozado é os caras afirmarem que são moradias irregulares. Irregulares o kct! Se o cara tem água, luz e paga IPTU onde está a irregularidade?
    Ah! Talvez na cobrança do IPTU uma vez que a renda auferida na cobrança deveria ser dividido em 25% p/ educação, 15% p/ saúde e o restante para melhorias de modo geral. Agora não adianta mais. Já era.

    Aqui no Brasil temos o irregular regular e o provisório definitivo.

  2. Alê disse:


    As sucessões de manchetes do blog ao vivo do g1, são apavorantes, por tudo que elas carregam de implícito e explícito.
    -> http://colunas.g1.com.br/aovivo/category/rio-de-janeiro/

    É de se imaginar que haja outras pessoas morando, nesse momento, em condições semelhantes, sabe-se lá onde.

    Não averiguei, mas no Bom Dia Brasil de hj, deu que o ministério responsável (Integração Nacional) pelo repasse de verbas para prevenção de tragédias deste tipo (achava que fosse o de Cidades, mas com tanto ministério aí, vai saber quem faz o quê…), repassou 1% do valor do orçamento ao RJ e 66% à Bahia.

    Desimcompatibilizado, o ex-ministro Geddel Vieira, vai concorrer ao cargo de governador da… adivinhe!

    Alê

    …Bahia.

    • Carlos disse:

      Tem uma coisa aí:
      O Presidente Lula sempre afirmou que, governador que quiser verba, tem que apresentar projetos.
      A Bahia apresentou e levou, o Rio não apresentou, não levou.
      Não dá pra ter dois pesos e duas medidas.
      Aí, quando acontece a desgraça, vão lá na telinha e insinuam que o governo federal deu preferencia a um em detrimento de outro.
      O pior é que não aparece ninguém pra contestar, na hora e no ato…

      Carlos, eu não quero (e não vou) partidarizar a coisa. Quero que o Geddel, o Lula, o Serra, o Cabral e TODOS OS ANTECESSORES vão pra puta que pariu eles. Tinha gente construindo casa em cima de LIXO desde os anos 80!!! Nasceu MAIS DE UMA geração de seres humanos em cima disso. E NINGUÉM fez nada. Precisou vir uma chuva-monstro pra desenterrar a leniência de TODOS que compactuaram com esse absurdo. Tá vazando METANO quando os bombeiros escavam. Acho que não precisa falar mais nada, né?

      • Alê disse:


        Tb não pretendo partidarizar nada. Apenas comentei uma notícia e agora fui mais a fundo para tentar entender o que está acontecendo.

        O link da notícia:

        -> http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100407/not_imp534807,0.php

        E, na sequencia, recomendo a leitura deste artigo:
        -> http://blogs.estadao.com.br/eduardo-reina/

        Com relação a apresentação de projetos, imagino que os baianos, famosos pela sua reconhecida capacidade analítica-social, a extremada competência técnica na gestão de tragédias ambientais e eficácia e agilidade indiscutíveis, tenham apresentado projetos mais bem estruturados ao contrário do resto do país. Justo, portanto, que aquinhoem sozinhos 48% do orçamento. (na globo falou-se em 66%, mas eu estava acordando ainda…)

        Qual a resistência estrutural que pode oferecer uma pilha de material orgânico em decomposição?

        Alê

      • Carlos disse:

        Alê, descriminando os baianos, chamando-os de preguiçosos e incompetentes?
        Chato, né?
        Sei que vc não é desse tipo…

    • Carlos disse:

      Não estou partidarizando.
      Mas a Globo está…
      Estão de novo tentando jogar a culpa por décadas de desgoverno em cima do Lula, como se essas casa tivessem sido construidas nestes últimos anos.
      São casas que estão lá há decadas, mas isso a Globo não diz.
      E só não vê a posição da Globo no caso, quem não quer…
      Quanto à apresentar projeto pra levar a grana, alguém acha errado?

      Ah, põe a Globo também no rol dos que devem ir à puta que pariu. Esqueci. Aproveita e põe o SBT, Record, Band, FSP, Estadão… Se tiver espaço, manda o PHA, a blogosfera independente, PT, PSDB, PCO e DEM pra lá também. Carlos, o buraco é mais embaixo. Enquanto nego tá soterrado, eles abrem uma champagne. Tá foda, viu?

    • Alê disse:


      Carlos, morei seis anos na Bahia. Acompanhei a estruturação da Ford, de Sauípe e do Mediterranée-Trancoso e sei o desespero que os funcionários nativos causavam a seus empregadores.

      Generalizando? Claro que sim. Há muitos baianos competentes, de fato, que trabalham em algo que não esteja relacionado à produção de festas, trios e micaretas. Estes normalmente saem do estado e vão para BH ou Sampa. E não estou ironizando. A cultura trabalhista baiana, que prima pela indolência, é algo de pasmar qquer um.
      E quer saber? Certo estão eles.

      De qquer modo já nem sei se essa informação sobre o repasse de verbas é correta.

      No Estadão, que linkei acima, o percentual é de 48%, na Globo é de 65% -> http://vqv.me/4AV e na Record News acabou de dar que era de 37%…

      Afirmar que a Bahia obteve mais verbas de um ministério – cujo titular pretende governar o estado -, apenas pq apresentou mais projetos, é ser muito ingênuo, não?

      De qquer maneira tivesse o RJ recebido 200% da verba, não teria servido para porra nenhuma. Que a Bahia faça bom proveito dessa grana.

      Vou reproduzir um trecho de um comentário que li -> http://vqv.me/4AB que resume meu pensamento a respeito dessa tragédia:

      “…Só que agora a situação deixa de ser “apenas” um problema a ser empurrado para debaixo do tapete.

      Assumiu a dimensão de tragédia.

      Não dá mais para ficar buscando desculpas no aumento da população, na ocupação indiscriminada ou em São Pedro.

      O que estamos vendo é produto do descaso, da irresponsabilidade pública e da falta de preparo gerencial dos nossos políticos para ocupar cargos que exigem planejamento, respostas e ações.

      Um politico capixaba, já falecido, o senador João Calmon, andava tão incomodado com esse despreparo que passou a defender que todo candidato a um cargo público passasse por um aprendizado (em todos os níveis, do educacional ao político, inclusive para aprender como apresentar projetos).

      Incluiu na proposta uma avaliação do candidato, a ser feita um ou dois anos depois pelos seus próprios eleitores, caso fosse eleito.

      Se a avaliação fosse negativa ele seria excluído dos cargos…”

      Brasil: Um país onde centenas de pessoas morrem anualmente de chuvarada.

      Alê

      • Carlos disse:

        Morei nove anos no Ceará, Alê, tenho um filho cearense.
        Sou aviador aposentado, conheço o Brasil todo.
        Não dá pra regionalizar os desmandos, estão espalhados por todo nosso território.
        Voei muito transportando politicos, ouvia as conversas e as armações deles, sei do que estou falando…

  3. Wilson disse:

    Na mosca!
    Esse caso é um retrato nu e cru da gestão pública brasileira, seja lá qual for a linha ideológica.

    Mas não podemos jogar tudo nas costas de prefeituras e estados, há outra questão aqui, como reagiriam a imprensa, a igreja, e essa entidade abstrata conhecida como sociedade civil se um prefeito decidisse mudar um bairro inteiro?

    Essa entidade abstrata chamada sociedade civil é outra filhadaputa que fechou os olhos pra esse ABSURDO. Juro que essa notícia acabou com o meu dia.

  4. Elton Castro disse:

    Revoltante e absurdo, depõe contra o gênero humano.
    Concordo que partidarizar a questão é de um oportunismo vil. Mas eu não consigo evitar que o meu comunismo fique exacerbado diante de uma notícia dessas É reação fisiológica, o sangue ferve e fica mais vermelho, com pendores stalinistas. Nessas horas que eu penso naqueles felasdasputas que acham que o Brasil tem qualquer moral para pressionar Cuba em qualquer sentido que seja. Só de não ter moleque de rua, nem analfabeto, nem gente sem casa, nem ninguém morando em cima do lixão, os cubanos tão 1 milhão de anos mais avançados que a gente. Porra!

    Nesse aspecto, não há a menor sombra de dúvida. Cuba pode ter mil defeitos e problemas, mas lá gente é tratada como gente. Duvido muito que Fidel Castro permita a construção de casas sobre lixões.

  5. Juliana Pires disse:

    É difícil não se solidarizar, não se comover com tudo isso. Estou acompanhando pela talevisão e torço para que o número de mortos pare de crescer.

    Torcer e cobrar para que as pessoas sejam retiradas dessas áreas. Não é possível alguém morar sobre montanha de lixo.

  6. Adriana disse:

    Vinicius,

    você tocou num ponto muito importante: todos nós somos responsáveis. Poderes executivo, legislativo, judiciário, sejam de hoje ou de ontem. Sociedade civil, seja organizada ou não, igrejas,imprensa, TODOS SOMOS RESPONSÁVEIS pelo que está acontecendo.

    Fechamos os olhos para tudo e não cobramos, não participamos e muito menos ajudamos. Só gritamos quando mexem no “nosso queijo” (mineira tem que falar em queijo, né?)

    Entrar na onda de “politico é tudo corrupto” e “é tudo culpa do governo x ou y” não vai devolver vidas ou mesmo resolver as mazelas.

    Acorda Brasil! =/

    P.S. Ótimo post.

    Por aí, Adriana. Quando as coisas acabam mal, geralmente é porque começaram mal e continuaram mal. Dá tempo de impedir que tudo continue como está, e é tarefa de todos, não de um ou outro metido a salvador da pátria. Chega de omissão e “nuntácumigo”.

  7. Augusta disse:

    Olá a todos,

    Sou carioca e tenho uma grande amiga que mora em Niterói, precisamente numa rua antes desse morro, que fica numa localidade que ironicamente se chama Viçoso Jardim. O que ela comentou comigo ontem à noite, no momento em que a tragédia estava acontecendo a fez lembrar da comoção que teve com outras tragédias como a do Chile ou Haiti. Só que dessa vez era assustadoramente próxima.
    Concordo com tudo que foi postado aqui. Estamos tristes e envergonhados aqui no Rio. Sou professora e sem dar aulas, provavelmente amanhã escute histórias tristes de amigos de alunos, funcionários. Agora nos resta ajudar, ao menos nesse momento imediato e nos próximos meses.
    Me alivia saber da insatisfação de todos vocês que escreveram aqui.
    Abraço!

    Valeu, Augusta. Que todos consigam sair dessa. E que todos que não estão nessa ajudem.

  8. Leo disse:

    Só dá pra partidarizar enchente em São Paulo.

    Você acha que EU tô partidarizando alguma coisa lá ou aqui? Ó, Leo, faz uma pra mim: pelo menos seja homem de colocar um email válido no seu comentário. Senão, comenta lá no Terra, ok?

  9. Leo disse:

    Vinicius eu não coloco email válido pra evitar spam na minha caixa postal. Agora se você quiser conversar por email, é só pedir que eu te passo meu email.

    Dá uma lida nesse artigo aqui: https://comfelelimao.wordpress.com/2010/01/26/sorria-meu-bem-sorria/ de sua autoria, e volta pra falar de partidarização.

    Tem outros, além desse. Tem post elogiando o Kassab aqui. Tem um post COMPLETO sobre enchentes em SP aqui, onde não há qualquer partidarização. Como eu não tenho compromisso com ninguém, eu fico à vontade para xingar ou elogiar qualquer um. Neste post aqui, eu xinguei todo mundo, até a mim mesmo.

  10. Pessoal, e não estamos falando de um município qualquer. Niterói está entre as cidades no topo do IDH do Rio de Janeiro e do Brasil. E ainda sim moram encima de lixo.
    Imagine nos municípios qualquer?

    Vinicius, realmente isso tudo, é de tirar a paciência e de se enojar.
    No Picaretas, antes do lixão de Niterói, até arrisquei um Cordel…
    http://picaretasdatavola.blogspot.com/2010/04/cordel-da-cidade-encharcada.html

  11. Thiago Ferreira disse:

    Vinicius. Uma coisa você disse com propriedade:
    “Estamos nos transformando num bando de covardes, irresponsáveis, individualistas, gananciosos e omissos.”

    E acrescento, que o nosso DNA já está modificado.
    Hoje já é aceitável, falsificar carteira de estudante, pequenos furtos, pequenos subornos, pequenos desvios de bens publicos, etc.

    Até massacres são toleráveis, em nome “não sei do que”, assassinos procurados pela interpol, são heróis.

    Final dos tempos. Não tem mais jeito. DNA véio!

    Pois é… Mas ainda dá tempo de mexer nisso (eu acho).

  12. Thiago Ferreira disse:

    Pô Vinicius. Agora que eu reparei. Que monte de banners ai do lado cara? Vc. vai ficar mais rico. ahahahahaha
    La nocu, fiquei sabendo que cada um desses paga 15 quilos de picanha. Vc. tá feito na vida. ahahahahah

    Agora eu vivo só do blog. 😀

  13. Wilson disse:

    Não dá mesmo para partidarizar porque tantos os governantes anteriores quanto os atuais e, provavelmente, os futuros continuarão permitindo este tipo de moradia de risco.Primeiro, proque não estão ligando muito para essa população, segundo porque barra isso dá um desgaste tremendo.
    Elton e Vinicius, peraí, Cuba? Em Cuba um desastre como este não sairia na imprensa.A gente não ficaria sabendo.
    Meu caros, é demais defender um regime ditatorial caquético, ele e seus dois líderes rídiculos, cuja população faz de tudo para fugir para outros países,e não é só Miami.
    Não sei qual a idade de vocês, mas alguém se lembra do que aconteceu na Alemanha Oriental, o mais avançado dos países comunistas, quando se abriu a fronteira?
    Eu acho uma moleza elogiar Cuba vivendo na democracia brasileira, aí fica fácil, até eu.
    Tá, somos um país repleto de problemas, mas aqui o povo pelo menos pode tirar quem está poder e colocar outro no lugar. Certo, é um sistema imperfeito, mas o brasileiro tem ido bem nas escolhas desde que a democracia voltou.
    Aqui a gente pode botar a boca no trombone e descer o cacete no prefeito, no governador e no presidente. Aqui a gente pode criar um blog e discutir abertamente, sem sermos visitados por sujeitos com cara de maus. Este blog existiria em Cuba?
    Nossa indignação com esta tragédia não pode nos cegar, não pode nos fazer ingênuos ao ponto de achar que há soluções simples e rápidas para todos os nossos problemas.

    Ah, Wilson, se tivesse uma tragédia dessas em Cuba a Yoani Sánchez contaria pra nós, né?

  14. André disse:

    Numa tragédia dessas até as pessoas mais liberais ficam cobrando mais ações dos “responsáveis”. Querem saber porque as autoridades deixaram construir no lixão, porque não houve fiscalização, porque não tem mais bombeiros trabalhando nos resgates, etc. A resposta é que prefeito, governador, presidente, sociedade civil ou opinião pública não faz nada disso, quem faz é o funcionário público (aquele mesmo, o que não trabalha). Já tá na hora de enxergar o funcionário público como algo mais do que um déficit nas contas do estado.

    Concordo 100%, André. Já escrevi sobre isso, inclusive. Quem move a máquina é o F.P., não o prefeito, governador, presidente, etc.

    • Alê disse:


      Pois eu discordo. Não elegi nenhum funcionário público para gerenciar a comunidade onde vivo. O responsável para evitar esse tipo de desastre é sim do governante eleito. Aos FP, cabe cumprir as ordens.

      Qual FP tem poder para decretar algo parecido com isso:

      “…o prefeito Eduardo Paes publicou nesta quinta-feira no Diário Oficial um decreto em que declara 158 áreas do Rio, afetadas por deslizamentos de terra, em situação de emergência.

      Com a medida, a prefeitura dá poderes a agentes da Secretaria municipal de Saúde e Defesa Civil para entrar nas casas destes locais, mesmo sem consentimento dos moradores, para prestar socorro ou ordenar a retirada imediata das famílias…”
      -> http://vqv.me/4Dz

      Alê

      • André disse:

        O prefeito pode mandar fazer, mas se não houver pessoal treinado para isso, nada será feito.

  15. André Nogueira disse:

    Vinicius,

    Ontem eu vi alguns especialistas que conheciam a situação do local falando sobre o assunto. Na época do caso Eloá comentei sobre a responsabilidade da imprensa. Vc dividiu e assumiu (faço o mesmo) sua parcela de responsabilidade para o absurdo que aconteceu no RJ. Qtas mais acontecem próximas de nós e nem sabemos.

    Sabe o que me deixa pior? O fato de priorizar problemas pessoais ao ponto de criá-los e supervalorizá-los para justificar a falta de engajamento com os problemas alheios (existe problema social “alheio”?). Sabe o que é pior ainda? Ter consciência disso e continuar passivo e individualista. Falo de mim.

    Seria ótimo se programas como o CQC, em vez de induzir pessoas ao erro por meio de ciladas, tivesse como pauta a busca de locais com maior probabilidade de ocorrerem tragédias. Teríamos então notícias sobre tragédias evitadas: “O morro y deslizou, mas, por ação de nosso jornalismo, 3 anos atrás os moradores foram transferidos para o local x, evitando uma grande tragédia”.

    Pra falar a verdade nem sei o que escrever…

    Abraço!

    Escreveu o que era necessário.

    • Thiago Ferreira disse:

      André. Me desculpe uma divergência. Nessa parte de cobrar providencias de setores publicos, sobre desleixos com a população, o CQC, tem feito e faz muitas vezes. Não podem evidentenmente cobrir o pais, e cobrar todas as mazelas, mas que tem feito, isso tem.
      Nem sei quantas vezes, vi o Gentile, colocando agua poluida e barro nas mesas de secretarios. Esse crédito eles tem. Exigir que tivessem previsto essas tragédias, me desculpe, é jogar muita responsabilidade em cima dos caras.
      Se é pra cobrar atitudes, eu cobraria muito mais da juventude, especialmente a estudantil, que está mortinha da silva para as manifestações que deveriam estar fazendo com frequencia. Essa sim é omissa, pois teria potencial, mas parece que estão mais preocupados em twitar, mp3, e celular.

      • André Nogueira disse:

        Thiago, não precisa pedir desculpas mano. Citei o CQC como exemplo. Eles realmente fizeram coisa parecida no caso do “esgotão” e em alguns outros. Todos geograficamente distantes de mim. Foi bacana e resolveram os assuntos.Porém, o programa abraçou uma denúncia da oposição (que pelo que sei, antecedeu a gestão da época e fez um monte de merda) contra o Prefeito de Mairiporã relacionado com a merenda escolar. Colocaram até uma tiazinha falando mal da merenda, dizendo que a filha dela passava fome. Meus sobrinhos estudavam em escola municipal da cidade e o rango era de excelente qualidade, contrariando a história. Embora a questão dos valores pagos pela matéria prima da merenda fosse questionável, manipularam e inseriram personagens para dramatizar a reportagem. Até então gostava bastante do programa, mas fiquei com dúvidas qto à isenção de interesses do CQC.

        O que coloco aqui é a necessidade da existência de um jornalismo transformador, ativo. O que temos hj é o reativo, sendo que a reação é limitada a encontrar culpados, entrevistar gente que “já sabia” (mas não agiu com a força necessária) e mandar reporter correr o mais rápido possível pra chegar no local do desastre, se não o concorrente rouba a audiência.
        No Globo News vi um repórter no local do deslizamento dizendo (com minhas palavras) que o poder público só estava presente com grande efetivo no local por conta da presença da imprensa e outros locais afetados estavam às moscas. Afirmou, portanto, que o poder público só trabalha sobre pressão.
        Achou uma fórmula útil para um país que engatinha para ser socialmente desenvolvido. Que a imprensa pressione. Certamente não faltará “matéria” e o índice de desemprego dos jornalistas cairá drasticamente.

  16. Alê disse:


    Passou na Record News, hj de manhã, uma entrevista com uma professora de urbanismo da Universidade Federal Fluminense, que informou que já havia sido feito um estudo e emitido um alerta às autoridades sobre a precariedade da situação.

    Esse estudo/alerta foi realizado em… 2004!

    Alê

    • Alê disse:


      O prefeito de Niterói, Jorge Roberto Silveira (PDT), admitiu, na noite desta quinta-feira (8), que sabia que a comunidade do Morro do Bumba, no Cubango, atingida por um deslizamento de terra na noite de quarta-feira (7), tinha sido construída sobre um antigo lixão. O PDT administrou a cidade 15 dos últimos 21 anos.

      “A gente sabia que o lixão estava desativado há 30 anos. Quando eu assumi pela primeira vez, já havia um início de ocupação. A região é muito pobre e as informações que eu tinha eram de que aquele aterro era muito antigo e não representava nenhum risco”, disse.

      -> http://vqv.me/4DY

      Alê

  17. aldoluiz disse:

    Meus caros amigos, a vida tem me urgido concluir… Vejam as datas dos mapas.

    O Estado é, e tem sido, uma concessão e extensão da agora eufemística, milenar e imperialista “nova” ordem mundial escravagista e seus fiéis banqueiros (atualmente euroangloamericana e nazisionista) sempre renovando sua “NOVA embalagem” para melhor iludir e administrar a “democrática” casa grande e sua inumana senzala onde nos amontoam como lixo.
    “Midióticamente” imbuídos dessa institucionalizada inverdade acreditamos no que apregoam com o velho e eficiente “low talk and a big steak”, e agora, com o H.A.A.R.P., arma de guerra para modificação do clima, trabalhando religiosamente desde os anos 90 sob a sombra da midiocracia vigente para a falácia do desmoralizado aquecimento global e outras “armações inconfessas” como terremotos em alvos estratégicos.
    Cairão os morros, inundarão as cidades, imporão vacinações oportunistas e não haverá investimento que resulte algum benefício para salvar os escravizados povos crédulos e enganados, a não ser o dar continuidade ao “invisível” holocausto proposto pelos donos dessa terrível diabólica máquina de guerra para a modificação do clima, os mesmos donos dos vírus criados nos laboratórios das pandemias e vacinações desnecessárias.
    É preciso mudarmos o ponto de vista para esta dolorosa paisagem. Avançam sua agenda e o tempo já anda acelerado…

    Sou grato

  18. Wilson disse:

    Pô, Vinícius,com tanta liberdade de expressão, de ida e vinda em Cuba e você só consegue pôr o link de um único blog de lá?
    Apoio aos hermanos Castros não combina com você, com este espaço legal que você criou aqui, ele é muito melhor que isso. Não cai nessa.
    Mudando do run para a água, o Alê tocou num ponto interessante citando este alerta feito pela UFRJ. Bem as universidades poderiam se fazer o levantamento das áreas de risco em suas regiões e apresentar um relatório indicando as áreas e as soluções viáveis, nada de devaneios que o que eles mais fazem, e entregar ao prefeito, ao governador e ao presidente das respectivas bagaças e ao Ministério Público, na próxima catásfrofe já haveria provas para responsabilizar os governantes. Eu acho que suas excelências começariam a se mover.

    Coloquei o link pra Yoani porque ela é o símbolo dos libertários anticastristas, só isso.

  19. Thiago Ferreira disse:

    Cuba, Venezuela e Bolivia, viraram o cú do mundo, infelizmente. O Cubano principalmente não merece estar passando ainda hoje, no seculo 21 pelo que está passando. Venezuela e Bolivia, vão descobrir mais prá frente a enrascada em que se meteram. Tomara que não se fodam tanto.

  20. Augusta disse:

    Eu adoro esse blog. Não poderia haver melhor leitura nesta sexta-feira, em uma sala de professores em Nova Iguaçu. Aqui não tem bumba nem Yoani, mas bem na minha frente tem um barranco com terra alaranjada à mostra. Sem casas, claro. Mas vendo isso nem preciso ser geóloga ou fazer estudos e análises para chegar a uma conclusão meio pífia mas válida: nossos morrinhos são muitos frágeis, uma camada de barro que nem vegetação consegue sustentar. Claro que não dá pra culpar as pessoas que quiseram morar em cima do lixão (acredito que maioria não soubesse, ou não aventasse para o risco de morar em cima de um antigo aterro sanitário), mas onde está a intuição? Uma mera observação simples do lugar onde quero construir uma moradia? Pelo que pude averiguar as casas eram de uma classe média baixa, mas não miserável. Enfim, sinal tocou. Beijos!!

    É que falta orientação pro povo, né, professora? Os caras gastam a grana dos livros em cimento, e acham que se “fizé um bardrami bem forti a casa guenta”…

  21. Vinicius
    Se ainda fizessem casas de taipa/adobe não ocorreria tal tragédia. Perceberiam logo que o barro do lugar não presta e então não ficariam ali.

  22. A instituição em que eu trabalho foi construída em cima de um lixão. Esses tempos um forte cheiro ácido de matéria orgânica em decomposição inundou os corredores. De quem é o prédio? Secretaria da Saúde do RS.

  23. A instituição em que eu trabalhei antes tinha um depósito de lixo tóxico em um barracão cujo telhado estava parcialmente caído e cujo piso estava todo rachado, permitindo que o material armazenado recebesse chuva e percolasse pelo solo, contaminando o lençol freático em uma área de preservação ambiental. De quem é o prédio? Secretaria da Saúde do RS.

  24. Tá na hora de criar a categoria FEBEAPÁ no meu blog…

    Vai colocar meu blog nela? Legal.

  25. Eu vi ontem na Globo, a explicação do prefeito de Niteroi, segundo suas palavras: “ele não sabia que a situação era grave”.

    Parece que a técnica de outro político conhecido tem feito seguidores: não vi nada, não sei de nada.

    Coincidencia ou não, ambos são do PT…

    ***(*) ******(*)

    O prefeito de Niterói é do PDT.

  26. burro disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Burro zurrando? Pode isso, Arnaldo?

  27. AFPD disse:

    O ideal seria remover esse pessoal todo para conjuntos habitacionais. O problema é que a remoção é complicada pois querem enviar o pessoal para locais distantes, não pensam no transporte do pessoal para seus locais de trabalho, não incentivam o comércio, não criam escolas e creches pertos desses conjuntos, não tem nenhum quartel ou delegacia perto enfim , empurram o pessoal pro fim do mundo e largam lá. Para isso serviria os roaltyes do petroleo, criar infraestrutura para a população, mas o governador quando viu que ia ficar sem o dinheiro dos royalties disse que não ia ter dinheiro nem para pagar salários?!!?!?!?! Como pode os governantes incoroporarem os royalties nas contas dessa forma? e os impostos? É todo um sistema sem fiscalização, sem organização alguma. APenas planejam como desviar o dinheiro todo e nós nunca cobramos como devia ser cobrado.

    Aqui no Rio é cercado de morros, na próxima chuva vai ser outro a deslizar e matar mais pessoas, ninguém quer arcar com os custos eleitorais de desapropriar familias até pq ai vem a justiça e derruba a decisão do governo alegando que os moradores tem o direito de estar ali.

    O que precisa no Brasil é que se dê continuidade aos projetos e nao encerrem eles pq quem iniciou era do outro partido. O maior acerto do Lula foi dar continuidade a economia do antecessor e o proximo que vier precisa dar continuidade ao que for deixado e melhorar o que puder melhorar e isso vale para todos, seja a nivel federal , estadual e municipal.

    O Roberto Silveira deu azar, ele foi eleito em niteroi 3 vezes e essa mesma comunidade agradecia pelas obras que eram feitas, ninguém reclamou que era lixão antes :/ imagina se o cara ia remover todo mundo apenas por uma suspeita, até pq já choveu muito nesses ultimos 10 anos. No Brasil se espera acontecer tragédia antes de pensar em solução. E como esse morro tem mais uns 30 por aqui…

  28. kaka disse:

    o que acomteseu foi orivil e a minha porfessora de geogarfia pediu un tarba balho sober isto e é xocante oque a comteseu ….

    “Xocante” é pensar na sua professora corrigindo o trabalho.

  29. Carlos disse:

    Depois da desgraça todo mundo tem palpite…

  30. ABENAILDO disse:

    OBRA DE MALUF

  31. Thiago Ferreira disse:

    Como dizia, o sábio Murici. A bola pune. Pois é, 90% dos recursos foram para a Bahia. E Deus, mandou a chuva subir o caminho dos recursos. Agueeeeennnnta Bahia!

  32. Milton Guerzoni disse:

    POBRE POVO POBRE

    A terra deslizou, o morro caiu, a terra cobriu o barraco, a família morreu, o governo prometeu melhorar a vida da comunidade, construir casas populares com preços populares para distribuir aos sobreviventes da catástrofe. O governo lastimou, quase chorou com a morte de mais de uma centena de miseráveis que viviam como animais num monte de lixo que o próprio governo iluminou, abasteceu com água potável, asfaltou ruas, construiu escolas e hospitais e quando caiu disse… O povo não devia morar nas encostas! Mas ele próprio o governo deixou o povo lá enquanto nada de ruim acontecesse. Mas aconteceu, e agora o que o governo está fazendo? Passada a fase da calamidade, nem jornais, nem televisão, nem ninguém, confirma… Quantos coitados morreram? Quantos coitados ficaram sem casa para morar? Quando e onde serão construídas as casas prometidas? NINGUEM FALA MAIS NADA. Construir casas para os coitados que estão morando no relento, não dá voto, e a roubalheira é pouca, visto o misero investimento que é feito para tentar resolver o problema.
    Agora é a vez da COPA DO MUNDO DE 2014, deverão ser construídos Estádios, Rodovias, Aeroportos, Alojamentos para os atletas, Investimentos para melhoria Infra-Estrutura dos grandes centros. Ai sim a grana vai rolar sem controle e a roubalheira será do jeito que eles gostam. Assim, o casebre que deveriam ser construído para o que ficou sem teto ficou para segundo plano. Eles que voltem a morar no lixão até a próxima desgraça.

  33. yuri disse:

    o governo dai deveria tomar na cara por deixar pessoas se abrigarem em areas de riscos.
    nem se quer a policia sivil fiscalizou as casas proximas a areas de riscos isso e uma vergonha para todos os brasileiros que se diz ter o sangue de bresileiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: