Onde está a incoerência de Ciro Gomes?

O deputado e futuro ex-candidato a Presidência Ciro Gomes deu esta entrevista ao SBT e, segundo ele, teve uma “conversa informal ao telefone” com um jornalista do portal IG. Muito embora eu concorde com o Maurício Savarese quando diz que “desde quando existe ‘conversa informal’ com jornalista?”, algumas coisas precisam ficar muito claras,  já que os dois lados interessados em que Ciro não seja candidato fazem de tudo para confundir e utilizar as declarações dele como granadas para atingir o oponente. Estes vídeos aí de cima esclarecem bastante a posição do deputado cearense, mas como as pessoas padecem de audição seletiva, vamos lá:

1) “Ciro acha que Serra é mais preparado do que Dilma”: precisa ser um petista muito empedernido para negar este fato. Estar “mais preparado” significa, basicamente, ser mais experiente, ter mais traquejo. E ser mais experiente não significa, e nunca significou, fazer o melhor trabalho. Com base nesta afirmação, alguns fundamentalistas chegaram à conclusão de que Ciro é um traíra ressentido, um lobo em pele de cordeiro. Agora veja no vídeo ele afirmando 500 vezes que não apoiará Serra nem amarrado e que, se for alijado da disputa, estará com Dilma.

2) Ciro criticou a coordenação de campanha da Dilma: ah, é? EU TAMBÉM, e um monte de gente do PT e que já saiu dele. Ciro, nesta entrevista, foi didático ao extremo ao explicar a diferença entre uma aliança programática de governo e uma aliança fisiológica. Diz claramente que se alia até com “os podres” quando o objetivo da aliança for a proposição de medidas importantes, mas que não se alia a ninguém para fazer “tráfico de minutos de TV”. Alguém é contra isso? O pessoal aí pergunta quem vai ser o vice do Serra. É justo. Mas QUEM SERÁ O VICE DA DILMA? Michel Temer? É eleição no Brasil ou na Transilvânia?

3) A imprensa manipula as manchetes: Enquanto Ciro diz isso, o pessoal que grita “isto é coisa do PiG!” repercute o tal “PiG” para sentar a marreta no deputado, uma vez que as tais “manchetes distorcidas do PiG” agora jogam a favor de desqualificá-lo como candidato (como é o interesse do PT), passando uma imagem de destempero e trairagem.

4) Ciro diz que Dilma pode perder a eleição: não, não pode. É mentira. Ela já ganhou. Só um “quinta-coluna” poderia dizer isso em público.

5) A briguinha PSDB x PT de São Paulo é suja e prejudicial ao país: qualquer paulista poderia atestar isso, mas estão muito preocupados olhando pro seu próprio umbigo.

Ciro Gomes, de há muito, é um dos políticos que menos mede as palavras no Brasil. Esta característica, por aqui, deveria ser motivo de exaltação, mas, pelo jeito, não é. Todo mundo diz que a política é suja e tratada nos subterrâneos. Quando um cara que transita pelo esgoto tem a coragem de dizer uma parte do que vê por lá, sem poupar amigos ou inimigos, é tratado como desequilibrado, traidor e boquirroto. Deve ser melhor escutar o Sarney, ou o Heráclito Fortes.

O PT queria MUITO que Ciro fosse candidato a governador de SP. Não para ganhar, mas para ser uma nova peça de artilharia contra o miolo do PSDB, aniquilando suas chances na esfera federal. Ele não aceitou. Em represália, o PT articulou para destruir sua pretensão de concorrer à presidência. E querem que ele fique quietinho, achando tudo isso normal, que vire um “soldado da Dilma”. Ele até vai se alistar, mas será aquele soldado bem vagabundo, que dorme na guarita. De vez em quando, dará uns tirinhos a esmo, só pra não ser expulso. Não por vingança, mas por saber que a guerra não vai ter o resultado esperado por ele. Se querem um café-com-leite, assim o terão.

O PSDB se borra de medo do Ciro. Não eleitoralmente, mas pela sua capacidade de explicar como o PSDB funciona nos seus intestinos. Ele sabe direitinho, já foi da casa, cansou de sair na porrada com a turma do Serra.

A trama para limar Ciro vai custar muito caro ao PT, e o PSDB agradece imensamente. Enquanto isso, o povo fica sem a opção de conhecer um outro discurso, e verá a eleição presidencial se transformar, mais uma vez, naquela briga de duas comadres disputando espaço no varal. A saída de Ciro Gomes do páreo sepulta questões que PT e PSDB nunca curtiram discutir nas campanhas eleitorais. E, quando se trata de esconder podres comuns, os dois partidos, sempre tão beligerantes entre si, são grandes aliados.

Anúncios

20 Responses to Onde está a incoerência de Ciro Gomes?

  1. Claudio disse:

    Particularmente, não vejo diferença nenhuma num discurso reacionário do discurso de quem quis descer a lenha no Ciro e fazer dele o novo inimigo público número um. Há uma parcela desse pessoal, geralmente composta pelos primeiros petistas, que é dicotômico em tudo. Se na semana passada o Ciro era Deus por desancar o Serra, hoje ele não presta mais por conta dessa entrevista, que nada trouxe de novo a não ser as constatações sobre a polarização ridícula do discurso político entre PT e PSDB paulistas.

    Só um pitaco, porém, no caso de Ciro saindo como governador: eu também queria muito, mas para não ter que votar no Mercadante…

    Taí uma coisa que mata o PT/SP: deixaram transformarem a Marta nesse demônio, sendo que ela era o único quadro decente do partido pro executivo. Expuseram-na pra disputar uma eleição perdida, e deu nisso. Tá queimada. Aí, como não tem tu, vai tu mesmo, Mercadante. Vai apanhar igual criança (do Chuchu!), e teremos mais 4 aninhos tucanos em SP.

  2. Por tudo isso que você relatou ao longo da postagem, torna-se de fato muito frustarante nossa eleição presidencial se resumir novamente a PT e PSDb. Em determinado aspecto, isso aqui já está começando a parecer os EUA, elefantinho ou águia- tucano ou estrelinha. Dicotomia do inferno

    Restringir o número de interlocutores facilita fazer política, pois não precisa ficar fazendo contraponto com muita gente. E é fato que não é só em aspectos culturais e de comportamento que macaqueamos os EUA.

  3. Felipe Palmeiras disse:

    Parabens Vinicius, matou a pau nesse texto.
    Infelizmente a tempos que a disputa política no Brasil se resume as duas comadres (PT e PSDB) e sempre que aparece alguem como uma 3ª força, seja pra conquistar uma parcela dos votos ou mesmo para descentralizar o poder bipartidário (O proprio Ciro em 2002, a Heloísa Helena em 2006) os caciques tucanos e pestistas estendem suas garras para minar eles.
    É realmente uma pena pois a meu ver Ciro é muito mais articulado e preparado pra enfrentar o PSDB do que a Dilma.

    Valeu, Felipe. Acabei de postar no twitter: “Ciro é a inconveniência necessária da política brasileira, mas os caciques (ou as comadres) o tratam como sendo o louquinho da rua.” Perdemos nós todos.

  4. Maurício disse:

    Ciro também tem de aprender a ser menos apressado. Se ele tem 15 anos de vida pública pra chegar à idade do Serra, tem de chegar minimamente viável até lá. Mesmo pra chutar quem ele merecidamente chuta, precisa de um pouco mais de parcimônia.

    “Minimamente viável”, Savarese? Quais são os requisitos necessários para ser “minimamente viável!”? O cara já foi governador de estado, ministro em dois governos, prefeito de capital, deputado federal, candidato a presidente… O que tá fodendo a política brasileira é essa tal parcimônia (aka aliança espúria), onde o Lula tem de beijar o Sarney e o FHC tem de babar pro ACM, senão os caras derrubam.

  5. Leonardo disse:

    Agradeça a Lulla e filie-se ao PSOL.

    Nossa, até o pessoal do PSOL tá chamando Lula de “Lulla”? Daqui a pouco, tão imprimindo “corja petralha” no boletim mensal.

  6. Alê disse:


    Vinícius, faz um update e coloca aí a entrevista que o Ciro deu ontem na Rede TV! e comenta. Essa entrevista é mais completa e contundente.

    “Há três, quatro meses atrás eu era o herói do PT. Três quatro meses depois, como eu não sou mais conveniente, sendo a mesma pessoa, pensando rigorosamente a mesma coisa, eu hoje sou agredido, de forma rasteira, pouco elegante, pouco educada. Bobagem, tudo bem, eu estou acostumado com isso”, disse Ciro.

    Brasileiro é bonzinho (traduzindo: hipócrita) e não admite gente que fala o que pensa na lata e sem meias palavras. Pena. Perdemos todos.

    Alê

    Eu vi esse trecho no blog do Brizola Neto hoje. É por aí mesmo. Se eu achar, depois eu posto.

  7. Finalmente leio uma analise sensata sobre as posições do Ciro. Não concordo com muitas das posições dele e meu voto é da Dilma, mas tambem acho um absurdo essa imposição ao eleitor da eleição plebiscitaria

    Valeu, Claudia.

  8. Na verdade, eu acho que esse era o momento do Ciro, não da Dilma. Seria meu candidato, fosse isso possível. Não vai ser, é uma pena. Vou de Dilma “por eliminação”, fazer o quê?

    No 1º turno, fiquei sem voto. Se no 2º for até Corinthians x Serra… Timão, êô…

  9. Thiago Ferreira disse:

    Vinicius. Ciro foi absurdamente ambíguo nessa parada, como aliás, todos são. É porisso que nascem Marinas e Heloisas no meio, pelo menos mais coerentes. Infelizmente, o PT, estabeleceu uma republica de amigos no poder, e quando se fala “amigos”, inclue-se aí, essas coisas como Sarney, e correlatos.
    Se a Dilma perder, é bem feito, na minha opinião, essa chata e mascarada, foi a pior opção de candidatura.
    Resultado, teremos um segundo turno, entre essas porcarias que teremos de engolir.

    Por que ambíguo? Porque fez parte do governo mas quis se lançar candidato? Ele não é do PT, ele apóia o PT. E o PT não tem o direito de pressionar o PSB só porque lhe deu cargos em troca de apoio. Este é o mal da política partidária brasileira, que caminha para a criação de dois partidões e a extinção dos demais.

  10. Lucius disse:

    Ciro conhece bem o PSDB, mas agora também conhece muito bem como funciona as coisas no PT, pois foi Ministro nesse Governo.

    Uma coisa que não entendo é a razão de ter transferido o título para São Paulo. Queria enganar quem?

    Por fim, acho que os dois lados, PT e PSDB, acabam perdendo um pouco com a saída do Ciro da disputa. Primeiro porque ele seria mais um a bater no Serra. Segundo porque ele teria que apontar os podres/erros do Governo Lula para justificar a sua candidatura.

    Acho que o PT perdeu mais, as porradas do Ciro seriam bem mais doídas em Serra. E, pelo que eu vi, ele acha que deve haver uma correção de rota na política petista, com o expurgo das alianças oportunistas. E eu concordo 100% com isto. Se fosse petista, também concordaria. O partido tá passando a corda em volta do próprio pescoço e, uma hora, algum Temer da vida vai puxar. Enquanto o Lula tava lá, ele segurava. Agora, com Dilminha Bengell, é embaçado, né?

    • Thiago Ferreira disse:

      “Expurgo das aloanças oportunistas?” Quando, onde?
      Essa ligação umbelical, não tem prazo de validade.
      Estão comprometidos até a medula.

      Foi o que o Ciro disse. Olha o vídeo aí.

    • Lucius disse:

      Pode até ser que o PT perca mais, contudo, se alguém da base aliada decide se candidatar, contra o candidato do Lula, para mim qualquer crítica que faça ao governo tem um peso maior e, em tese, repercute mais do que o da oposição.
      Por outro lado, eu acho que no governo Lula o PT foi destroçado. Quem decide tudo é o Lula e os caciques, não o partido. Ficou tão fraco quanto os demais. Quem decidiu pela Dilma não foi o partido, foi o Lula. As famosas facções, que forçavam o debate foram expurgadas. Perdeu a identidade. E tudo de ruim do governo ficou na conta do PT.
      Dilma Bengell não tá conseguindo nem botar ordem na campanha. Tão entregando tudo de bandeja. E quando chegar nos debates, acho que vai ficar ruim pra ela.

      Também acho.

      • Alê disse:


        E eu endosso. A Dilma é muito ruim de televisão. Compare as duas entrevistas do Datena (ontem com o Serra, semana passada com a Dilma).

        Esperto do jeito que é, a impressão que passa é que o Lula não está nem aí para quem ganhar essa eleição. Se for a dilma, bem. ela esquenta a cadeira dele por 04 anos. Se for o Serra bem, tb. O PT, com a habitual histeria, impede que o Governo governe e 04 anos depois o Lula retoma a presidência.

        85% de popularidade é foda.

        Alê

  11. Lembras quando elogiaste meu texto sobre os sete erros da campanha Crack Nem Pensar da RBS? Pois agora é minha vez de retribuir. Eu queria ter escrito este artigo. Simples, direto, brilhante, irretocável e irretorquível. Análise lúcida, esclarecedora e contundente. Valeu mesmo.

    Valeu, eu.

    • Hehehehe… piadinha singela, mas dei altas risadas aqui. 🙂 Acontece que (interpretando certo ou errado, sei lá) eu me identifiquei com o que fizeste: simplesmente agradeço e calo a boca. Isso porque perante elogios encabulo, não sei o que dizer e às vezes até enrubesço. Acabei optando por emitir um simples e sincero agradecimento quando me elogiam, sem fazer comentários, para não bancar o Lula falando de improviso. 🙂

  12. André disse:

    Foi burrice política do PT excluir o Ciro da disputa. Agora a Dilma vai ser obrigada bater no Serra (que está na frente) e isso pode até retirar votos do Serra, mas não é bem visto pelo “cordialíssimo” brasileiro. Embora goste do Ciro, e iriiia votar na nele, tenho dúvidas sobre essas alianças que são feitas apenas para votar temas importantes. Goste-se ou não do PMDB, sem ele não dá para governar (a menos que se faça uma aliança PT-PSDB), ficaria mais caro o apoio fracionado do que em bloco. Mesmo quando eles entram em bloco, eles tentam fracionar o apoio. Se o Serra ganhar ele vai ter que procurar o PMDB também (já procurou o Quércia), já que o PFL entrou em óbito e o PPS já estava. A trairagem do PT nem foi implodir a candidatura a presidência do Ciro ou desqualificá-lo agora, o foda foi tentar impor sua candidatura a gov. de São Paulo. Suspeito que isso iria acabar com a carreira política dele.

    Ele sabia, por isso não aceitou concorrer ao governo. Precisa do PMDB pra governar, isso todo mundo sabe, até o Ciro. Mas ele explicou para o Kennedy Alencar na RedeTV como se faz isso. Desconfio que a Dilma vai ser jantada pelo Serra, logo no primeiro debate.

    • André disse:

      A receita do Ciro para lidar com o PMDB parece a história de por o guizo no gato. Mas pode até funcionar para o Lula, com sua taxa de aprovação atual, ou para o Serra, com a imprensa no colo, mas não funcionaria para Dilma, Ciro ou Marina.

      Eu acredito que Ciro, pela sua franqueza e conhecimento das fraquezas e podres dos outros, conseguiria colocar o guizo no gato. A Dilma, duvido muito. Marina, menos ainda.

  13. Carlos disse:

    Gente, o Ciro pode ser tudo, menos doido;
    Fala pra cacete, dispara a metralhadora, mas ele diz umas coisinhas que é bom ficar alerta, porque ele já esteve em tudo quanto é lado:
    Quando ele diz que “Dilma pode perder”, ele não quer que ela perca, o que ele quer é que a militância saia do salto alto do “já ganhei” e continue lutando…

    Ele fala MUITA coisa que é pra ficar alerta, e não é de hoje. Mas é conveniente para o stablishment mantê-lo como o Napoleão do hospício. Aliás, o Itamar Franco também já foi tratado assim, né? E, veja, os dois estão limados da política brasileira.

  14. Elton disse:

    Eu gostaria que o Ciro tivesse topado ser candidato a governador de São Paulo. Teria grandes chances de vencer e interromper a hegemonia tucana no estado. A candidatura dele atrapalharia a tática “plebicitária” nestas eleições. O PCdoB defendeu até o último instante a candidatura dele ao governo de SP, disposto a entrar de cabeça na campanha e pressionando os cabeça-duras do PT de SP a facilitarem o apoio a ele. Qual a leitura que o Ciro faz deste esforço? “Eu não tenho vocação para PCdoB, que se humilha para apoiar o PT”. Então é assim? Se o apoio não é fisiológico mas programático e estratégico (o PCdoB é o único, fora o PT, a apoiar o Lula desde 1989), vira humilhação? E para que se queimar assim, gratuitamente, com im possível aliado? Ambição pessoal? Messianismo? Eu gosto do Ciro mais do que da grande maioria dos políticos e não gostaria de vê-lo na geladeira da política nacional, é figura relevante, é corajoso e inteligente, mas me decepcionei um tanto com ele neste episódio.

    Elton, eu discordo: Ciro seria muito BURRO se aceitasse uma candidatura-fake em SP só pra quebrar o galho do PT, que agora é obrigado, por falta de quadros dispostos e disponíveis, a ir de “Irrevogável” pra levar um couro do Chuchu.

  15. Elton disse:

    Opa. Quando escrevi “A candidatura dele atrapalharia a tática “plebicitária” nestas eleições” faltou incluir “candidatura à presidência”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: