A oposição, brincando com fogo

Ontem circulou esse videozinho aí, com o intuito de meter medo na galera. Dá pena da oposição, mas faz parte do jogo: cada um luta com as armas que tem, ainda que a arma seja uma faquinha de bolo Pullmann.

Hoje, me chega ISTO. Sim, amigos e amigas: o valoroso Instituto Millenium foi pedir penico ao CLUBE MILITAR para ajudar na luta pela LIBERDADE DE EXPRESSÃO no Brasil! Pedir ajuda aos militares (que editam pérolas como esta, POR EXEMPLO) para conseguir a “liberdade”! Para os mesmos militares que, entre muitas outras demonstrações “democráticas” no período 1964/1985, nos ensinaram a cantar uma singela canção, em todos os dias 31 de março. Recordar é viver, galerosos do Millenium, cantem comigo: 1, 2, 1,2,3 vai!

Dia 31 de março

Houve a revolução

que abriu novos caminhos

pra nossa pátria vir a ser grande nação!

O Marechal Castelo Branco,

assumindo a presidência

fez voltar à nossa terra

a honra, a confiança e a decência!

Expulsou os homens maus,

a confusão e a anarquia,

a todo povo e também para as escolas

voltou de novo muita paz e alegria…

Reinaldo Azevedo, nosso Carlos Lacerda modelo 2010, deve ter se esquecido que o seu paradigma aderiu ao golpe, mas também se lascou com os militares depois. Eu não, e também não consigo esquecer a porra dessa musiquinha maldita, mesmo passados mais de 30 anos da última vez que a entoei.

Vai aqui um apelo sincero aos oposicionistas: criar tucanos,  tudo bem. Mas, por favor, não criem corvos.

Anúncios

27 Responses to A oposição, brincando com fogo

  1. Claudio disse:

    A coisa mais engraçada – e desvirtuada – de nossa história é os milicos chamarem o golpe de Revolução. E a segunda é o 9 de julho…

    Revolução DEMOCRÁTICA. Isto persiste até hoje (veja o link da revistinha deles, é de 2008!), e tem gente cutucando esse povo. Depois aguenta…

  2. E tinha que reverenciar o Duque de Caxias no dia 25 de agosto por ser patrono do exército né?
    Nunca mais. Nunca mais…

    Tinha uma musiquinha do soldado, mas essa eu não me lembro.

  3. rafael disse:

    Car****, Vinicius!
    Essa doeu. Primeiro, o videozinho a la Regina “eu tenho medo” Duarte me fez rir um pouco, mas depois fiquei preocupado. Especialmente pelo efeito que as imagens têm, mas beleza, os caras perderam a mão e vamos ver no que dá. Confiança na vontade do povo nas urnas, certo?
    Mas depois, no link do material (cara, juro que tô bestificado até agora, por isso abri com palavrão), essa releitura da História, lembrei da “ditabranda” da Falha de São Paulo. Essa modinha acaba pegando, hein.
    Aí sim, dá medo mesmo: para onde se corre, encontram-se “releituras” — todas bem tendenciosas e malfeitinhas. Meu primo tem 12 anos e perguntou se a Dilma era terrorista mesmo… na minha época chamávamos de heróis…
    Parabéns pelo post, de novo.
    Forte abraço.

    Eu acho que é motivo de preocupação, sim. Não o videozinho, mas essa união com militares para “restabelecer a ordem”. Se bem que, hoje, os EUA não iriam financiar ou apoiar esses fanfarrões.

  4. Fábio Peres disse:

    Nada como repetir a história como farsa; sorte nossa que existe o PMDB, dos pragmáticos que vão garantir o governo (qualquer um) e evitar, em tese, que essas baboseiras aconteçam novamente.

    Porque a vitória foi dos pragmáticos, acima de tudo.

    Eu acho esse bagulho de flertar com milico um perigo, seja quando e como for. Milico é milico, e democracia não existe na caserna. Lá, manda quem pode, obedece quem tem juízo.

  5. Lucius disse:

    Sinceramente, vejo movimentos perigosos de todos os lados.
    O outro lá dizer que há excesso de liberdade é tão perigoso quanto ir tomar chá na caserna.

    Sem querer defender (e já defendendo), o Globo transcreveu a fala do Dirça e ele não disse que há excesso de liberdade. Aliás, disse que NÃO EXISTE excesso de liberdade. Dá um google e leia o que ele falou. Tem bobagem, mas não é isso.

    • Lucius disse:

      Ok. Vi lá. O pior que foi o PT da Bahia que publicou a primeira versão, pelo menos foi o que disse o Dr Google.
      Mas, exemplo à parte, acho que as provocações das duas partes empurram o país pra uma divisão perigosa. Nosso histórico não é de democracia. Só lembrar de como foi criada a República, Dr. Getúlio, instabilidade política antes da “Revolução” de 64.

  6. Marcão disse:

    ”cada um luta com as armas que tem, ainda que a arma seja uma faquinha de bolo Pullmann.”

    ahahahahahaha

    Na verdade essa oposição ta em pânico, eles vão ter que nos aturar no minimo mais 4 anos, tenho pena deles.

  7. Paulo disse:

    Honestamente, ideologias ( e excessos cometidos ) à parte, penso que o Golpe de 1964 nos salvou de uma “cubanização” que teria sido desastrosa para o futuro do País, provocando, provavelmente – por ação de forças internas e externas -, a própria fragmentação territorial da Nação. No mais, tucanos ou petistas – desde que mantidos operando sob regras institucionais claras e universais -, “é tudo” farinha do mesmo saco, creiam-me, e isso fica bem claro num tema que agrega e congrega todos os matizes do espectro político brasileiro: voto obrigatório. Alguém saberia me dizer porque?

    Até me assustei com essa aí da “cubanização”. Não imaginava que fosse ouvir em 2010 o mesmo discurso de 1964. Quanto ao voto ser obrigatório, eu pergunto: qual é a vantagem do voto facultativo para a democracia?

    • Lucius disse:

      No dia em que os políticos acharem que o voto facultativo é bom para eles, mudam a lei na mesma hora. As leis eleitorais são todas casuísticas.
      Quanto a 64, eu prefiro esperar todos os arquivos serem abertos…há muita história mal contada.

    • Paulo disse:

      Vinicius, a história do Brasil demonstra que o País não aceita rupturas radicais. Começou com a Independência, quando muitos criticaram a permanência do herdeiro do Trono português a frente do Governo brasileiro. Hoje os historiadores são quase unânimes em creditar a esse episódio ( e ao Regime Imperial que se seguiu ) a consolidação do Estado e da integridade territorial do País ( e até ampliação), enquanto a América espanhola se fragmentava em Republiquetas de banana. Até a Proclamação da República – que se configurou, talvez, na maior ruptura-, fez-se de maneira mais ou menos pacífica, sem grandes mudanças de rumo na economia. E assim por diante. Crê você que na situação em que o Mundo se encontrava no início da década de 60, com o ápice da Guerra Fria e a agudização do conflito ideológico na América Latina ( com a idéia de “exportação” da Revolução Cubana para os demais países da Região presente no imaginário conservador dos diferentes países e, sobretudo, nas casernas ), seria possível aceitar-se, no Brasil, um regime socialista? Acredita de fato que, com a pressão americana – não se podendo descartar até a intervenção militar – e o conservadorismo reinante na sociedade brasileira da época, seria possível um regime castrista ou assemelhado prosperar por aqui? Respeito sua opinião – que a bem da verdade gostaria de conhecer mais amiúde -, mas tenho para mim que os interesses superiores da Nação Brasileira, identificados, sem dúvida, com a manutenção integral de nosso território e a paz interna, em ambiente que nos permita realizar nossa vocação de grandeza, a fim de que, se nossos filhos não puderem, nossos netos possam, talvez, viver numa Nação próspera – que em realidade já somos – e dadivosa para com os seus cidadãos, muito mais do que é hoje. Ou você acredita que Jango – que era um fraco – teria conduzido suas “reformas de base” a bom termo? Veja, não estou justificando torturas, perseguições políticas e cerceamento de liberdades individuais que se seguiram ao Golpe Militar – e que, a bem da verdade, em grande parte só existiram e duraram tanto como reação à própria insurreição da esquerda brasileira que aderiu à luta armada, aliás, estratégia reconhecida depois como equivocada por seus próprios protagonistas. Quanto ao voto obrigatório, não acho que o debate deva passar, nesse caso, pelo juízo de conveniência – ou não – para a democracia. Trata-se, o direito de sufrágio, pasmem, de um…DIREITO, por sinal o mais elementar dos direitos políticos, e, portanto, não pode ser imposto coercitivamente, tanto é que nenhuma grande democracia do Mundo o pratica.

    • Voto facultativo não impediu que a gang de Bush desse o golpe, excluindo o eleitorado negro da Flórida em 2000 e em Ohio, 2004. Os negros QUERIAM votar, mas foram proibidos, a partir de uma intrincada e complexa operação que privou os ex-presidiários de seu direito ao voto. Quanto a votar ou não, tá prá nascer anarquista no Brasil. Queixumes da classe-média são demagogia. Político não nasce em árvore e ninguém é de confiança.

      • Fábio Peres disse:

        Paulo, o Brasil teria se tornado Cuba se os militares brasileiros tivessem uma visão “esquerdopata” de governo, ou seja, se os soldados e sargentos fossem evangelizados pelo modo comunista de pensamento; não era o caso brasileiro, já que aqui a base da política é extremamente despolitizada, mas se o Exército fosse comunista o Brasil seria uma “República Democrática” como a da Coréia do Norte, por exemplo.

        Tanto é que a República Federativa do Brasil, essa coisa que saiu da “Redentora”, foi muito mais nacionalista que capitalista, como se ouve pelos hinos e odes àquela época.

      • Paulo disse:

        Humberto, o que o “golpe de Bush” tem a ver com a minha defesa do voto facultativo? Quanto ao meu suposto anarquismo – se é isso que você quiz dizer -, saiba que não me filio a nenhuma corrente política ou ideológica. No passado, já votei de Mário Covas a Lula e hoje anulo meu voto – faço isso sistematicamente há pelo menos seis anos, tanto para os cargos legislativos quanto executivos – por não reconhecer legitimidade no sistema político-eleitoral brasileiro. Quero apenas ter o direito de não comparecer às urnas, se assim o desejar, sem ser compelido a fazê-lo, sob pena de vir a sofrer sanções administrativas, civis ou penais. Regra democrática, como se vê! O que há de tão odioso nisso? Classe média: somos todos nós, ou você é rico?

      • Paulo disse:

        Fábio, a base das Forças Armadas era – como é até hoje – despolitizada. A politização era reservada ao oficialato. Mas a presença de oficiais de esquerda não era a regra. A guinada à esquerda que se pretendia com as “reformas de base” do Governo João Goulart era sustentada, sobretudo, pelos civis ligados a Jango. Enalteci, apenas, que no contexto histórico da época o desfecho que se deu era, de certa forma, inevitável, e a alternativa a ele, possivelmente, muito mais custosa para a sociedade brasileira. Prova é que hoje muitos dos que defendiam posições de esquerda, à época, e foram perseguidos pelo Golpe Militar, estão na política e até no Poder? Em face disso, por que não, é lícito especular: se tivessem chegado ao Poder, teriam dado essa chance a seus opositores? A história prova que não…

  8. carlos luchetta disse:

    Por Nossa Senhora, Vinicius, o que o seu blog tá atraindo de reaça é uma grandeza.
    Tá loco sô.

    Vou começar a escrever receitas de bolo.

  9. Ademir disse:

    Eia, porra! “Cubanização”! Tinha esquecido dessa.
    A versão 2010 é a “Mexicanização”.
    Mexicanização = Vamos perder mais uma vez a eleição e precisamos de um argumento que jogue a responsabilidade de nossa derrota no PT.

    Quem olha pra esse pessoal, que quase gozava quando o Serjão projetava 20 anos de poder para o PSDB, até pensa que é com a democracia que estão preocupados.

  10. blogdoluchetta disse:

    Essa história de culpar a classe média por tudo é tão antigo e fora de propósito quanto a teoria da “cubanização”.
    Escutava isso, de professores de história, no fim dos anos 70. Achei que essa ladainha fosse coisa do passado.
    Quem governa o país é a classe rica, ou podre de rica, como queiram. Quem elege esses caras para os cargos políticos é a classe pobre (80% da população, aí incluído, pobres, miseráveis, o povo das cestas isso, cestas aquilo). Quem dera fossemos 80% classe média e 20% de abastados.
    Ricos e pobres não pagam impostos. Realmente, a classe média é culpada. Culpada de ser a única a pagar imposto.
    Já escutei críticas à classe por média por querer ter uma casa boa, uma escola que eduque seus filhos, um sistema de saúde digno, poder pegar o seu carro e passear com a familia no fim de semana. É, essa classe média é esdruxula mesmo.
    Gostaria de saber a que classe pertence esse povo que coloca a culpa pelas mazelas “desse país” nos ombros já sobrecarregados da classe média.

  11. **********************************

    COISA LINDA, BLOGUEIRO. ESTE HIMNO.

    BONSS TEMPOS QUANDO O BRASIL PARAVA PARA SAUDAR TODOS AQUELES QUE ENVERGARAM COM AFÃ OS UNIFORMES MILITARES, SOB A ÉGIDE DA MORAL E DISCIPLINA… FAZENDO COM QUE O 31 DE MARÇO FOSSE INCLUSIVE UM FERIADO.

    MELHOR AINDA TUA POSTAGEM A ESTE VÍDEO, RECOMENDO VER O VÍDEO EM QUE HUGO CHAVES ELOGIA DILMA POR ESTA SER UMA TERRORISTA DE MARCA MAIOR, JÚBILO É O QUE FICA NO NOSSO CORAÇÃO AO VER AQUELES QUE INDIGNAM-SE ANTE A SATRAPEZ PETISTA, MEUS CAROS.

    PERMITAM-ME ENCHER O PEITO E ENTOAR O CISNE BRANCO, CANÇÃO CUJA CANTAROLANDO, SINGRO OS ASFALTOS DO BRASIL:

    Qual cisne branco que em noite de lua
    Vai deslizando num lago azul.
    O meu navio também flutua
    Nos verdes mares de Norte a Sul.

    Linda galera que em noite apagada
    Vai navegando num mar imenso
    Nos traz saudades da terra amada
    Da Pátria minha em que tanto penso.

    Qual linda garça que aí vai cruzando os ares
    Vai navegando

    Sob um belo céu de anil
    Minha galera

    Também vai cruzando os mares
    Os verdes mares,

    Os mares verdes do Brasil.

    Quanta alegria nos traz a volta
    À nossa Pátria do coração
    Dada por finda a nossa derrota
    Temos cumprido nossa missão.

    Você, se quer escrever a la Andrade Neto, precisa dar uma melhorada aí, pegar um dicionário e ver o real significado de certos vocábulos. E, que eu saiba, 31/03 NUNCA FOI FERIADO. E, por favor, não me encha o saco, que eu tenho mais o que fazer.

    • Quem? No mais, SÁTRAPA cabe perfeitamente aos petistas… foi até perfeito. E “singrar asfalto” é lógico que é metáfora.

      Parabéns pelo himno, só isso. Lembra disciplina e retidão. Só teci um elogio.

      Tá, tá. Mas, por favor, se quiser comentar aqui, evite usar caixa alta no texto todo. E negrito, em geral, reservo para minhas respostas. Obrigado.

  12. INCLUSIVE AQUI VATICINO, A JUVENTUDE PAULISTA, QUE DEFINITIVAMENTE ESTAT NO CAMINHO CERTO:

    AVANTE, JUVENTUD PAULISTANA E ARREDORES!!

    http://www.jornaldocampus.usp.br/index.php/2010/09/marina-e-serra-sao-os-mais-votados-na-usp/

    VERTI LÁGRIMAS AO LER TAL NOTÍCIA.

    Aham, Cláudia, senta lá.

  13. André disse:

    Em 1964 não havia perigo vermelho, risco de cubanização, anarquia ou qualquer uma dessas merdas. Basta consultar quem era adulto na época, consultar jornais antigos (que pregavam esses perigos para pedir o G-O-L-P-E) não vale. A data correta do golpe foi 1o de abril (nunca um evento ocorreu em data tão adequada ao espírito do mesmo), para não pegar mal a data comemorativa foi adiantada. Repito o que disse lá no NPTO: nos últimos cinquenta anos as forças armadas tem representa muito mais uma ameaça que uma garantia de proteção ao país, e se os milicos estão tão interessados em proteger nossa democracia podiam começar os trabalhos indo todos eles para o inferno (de mãozinhas dadas ou engatadinhos uns nos outros, tanto faz).

  14. Carlos Rosas disse:

    vixiii agora você tem o seu própria Andrade Neto rsrs só falta agora ser chamado de periodista kkkkkk

  15. Salve Vinícius!

    Excelente post. Não vejo a hora que termine esse teatro obscuro.

  16. Hannibal disse:

    Esse ano tá difícil… o jeito é escolher o menos pior. Vou de Tiririca, é mais engraçado! kkk
    Somos todos palhaços nesse grande pedaço de terra.

  17. Marcelo Abdul disse:

    Acho que hoje essa discussão se tornou um pouco fora de moda não? O melhor que a sociedade tem a fazer é votar corretamente para que não se repitam os dólares na cueca, mensalões e escândalos na porta do Palácio do Planalto. Os milicos já fazem parte do passado. O problema mais grave hoje são os políticos corruptos de todos os partidos e a falta de punição deles. Esses também fazem um estrago danado como os militares fizeram nos anos de chumbo.

  18. O Abestado disse:

    Chupa Dilma!!!

    Chupa Marta!!! tomou uma surra do Aloysio em SP.

    Chupa Petralha!!!

    O seu nick é o melhor da história desse blog. Combina 100%, praticamente tô vendo a pessoa na minha frente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: